segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Prisão camuflada


Imagem da Internet



Numa época completamente desconhecida e em meio estranho.
Nem nascido das minhas entranhas, nem eu entranha dele.
E convida-me a morrer primeiro.
E eu o convite a irmos os dois, como desafio.
Poderia o ter desafiado a mesma medida,
mas propus com igualdade da mesma proposta que me lançou.
E me desdobrei em mim para entender um pouco
Do mundo que terminei por estar
Mas não aceitei estar pra sempre lá
Por que não era minha casa, não era meu lugar
Tinha cara de liberdade apenas,
Mas por trás de todos aqueles enfeites
Havia uma prisão sombria
Onde todos os inocentes  eram lançados
Uma ordem era dada e por estar num lugar desconhecido
Todos se tornavam servos, escravos e vitimas
Eu...apenas lutei incansavelmente para sair
Daquele lugar de vida e alegria camuflada...

Cristina Lira