sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Câncer na humanidade

Imagem da Internet

A vida é mesmo este imenso espetáculo de desafios.
Uma corrida enfadonha.
As vezes um beco sem saída...mas uma carta na manga.
Todos os dias somos postos a prova, todos os dias nossa capacidade é avaliada.
Nos deparamos com vários tipos de personalidades.
Personalidades corruptas, que se vendem, que compram, que desonram.
Personalidade que amordaçam aqueles que, infelizmente, não tem conhecimento de causa, aqueles que se sentem na necessidade de se submeterem, pois sua vida estaria comprometida caso agisse de forma diferente.
Pessoas egoistas.
Pessoas amargas.
Pessoas que são como câncer na sociedade.
Pessoas que só notam a si próprias, como se o mundo fosse um gigantesco espelho preparado apenas para elas.
Pessoas individualistas.
Pessoas sanguinárias.
Pessoas doentias.
Pessoas pobres de espírito.
Todos os dias... as encaramos.
Todos os dias... elas estão a solta... tentando remover tudo e todos que se postem em seus caminhos.
Pessoas que necessitam de amor.
Pessoas que se recusam a amar.
Pessoas que culpam outras pessoas pelo que são.
Pessoas que só se justificam.
Pessoas que não querem ser... parte de um conjunto.
............................................... dignidade abalada.
............................................... horas feridas.
................................................ gente enxergando demais o próprio umbigo.
................................................ e ainda sorriem... debocham...do pobre marginalizado.

Cristina Lira



" Memórias...não são só memórias..."



Resolução maior

M. Erb Photography - Imagem em Google Imagens

Existem momentos onde passamos e ninguém nos vê. 
Como se andássemos num deserto, sozinhos. 
Ou quem sabe seja o contrário, de tão distraídos não observamos o mundo acontecer a nossa volta, muito menos observamos nossos passos.
Passamos...sozinhos...estranhos.

Até que algo acontece e nos surpreende.
Seja a paisagem a nossa volta.
Uma palavra que nos chama a atenção no meio de tantas outras.
Um sentimento diferente que nos toma.
O desejo de uma mudança.

Quando freamos nossos pensamentos mais problemáticos e simplesmente nos permitimos contemplar as coisas simples a volta. Somos removidos do deserto que aparentemente vivemos. E a beleza da vida vai se desenrolando aos poucos e finalmente percebemos o quão somos integrados a tudo isso, o quanto somos tudo isso. Jamais algo separado, mas integrado.
E estes atos simples de apenas observar nos permite ter uma resolução maior em nosso modo de ver. Não apenas no contexto físico, mas principalmente no Espiritual.


Cristina Lira




Sinais

Imagem da Internet

Quem sabe não seja exatamente assim. Por que está evidente em cada palavra, nada está dando vazão para que não se entenda. Então, presta atenção... observa os sinais na estrada. Eles indicam por onde você deve ir...

Cristina Lira