segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Fragrância que flui

Imagem da Internet



Não nasci pra ser enfeite
Nem mármore que ornamenta
Não nasci pra ser deleite
De mente que apenas ostenta

Sou livre igual pétala carregada pelo vento
Mal piso no chão e meus passos somem
Pegadas impressas em dunas do tempo
Fragrância fluindo livre esquecida do ontem...

Tal qual brisa
De passagem...passando...


Cristina Lira




"Quero fazer contigo o que a primavera faz com as cerejeiras"



Imagem da Internet


"Quando não te doeu acostumar-te a mim,
 à minha alma solitária e selvagem,
 a meu nome que todo afugentam.
 Tantas vezes vimos arder o luzeiro
 nos beijando os olhos e sobre nossas cabeças
 destorcer-se os crepúsculos em girantes abanos.
 Sobre ti minhas palavras choveram carícias.
 Desde faz tempo amei teu corpo de nácar ensolarado.
 Chego a te crer a dona do universo.
 Te trarei das montanhas flores alegres,
 copihues, avelãs escuras, e cestas silvestres de beijos.
 Quero fazer contigo o que a primavera faz com as cerejas."

Pablo Neruda