domingo, 29 de abril de 2012

Arquivando



Guarde bem todos os momentos.
Uns são recordações
Outros aprendizados
Outros nos garantem o que pode dar errado
Lembranças, boas ou ruins...
Não importa como as classificam
Elas tem utilidade!
Só não podemos viver delas...

Cristina Lira


Contentamento


E agora já não consigo falar mais nada
Pois toda vez que torno a te ouvir
Falando o que estava emudecido
Meus olhos pesam e transbordam
E aos poucos se derrama em mim



Cristina Lira

E se eu te olhar cem vezes, acredite, em cada uma delas estarei me apaixonando um pouco mais.” 

 Caio Fernando Abreu


Lapidando

Imagem da Internet

É preciso enxergar os defeitos
Lapidar o necessário
Para que possamos ver em realidade o que somos
Cuidar do que está bom
E mudar o que não convém
Mudar o que nos diminui...

Cristina Lira



Surpreender

Imagem da Internet





Algumas respostas vem de forma mais verdadeira
Quando a pergunta é lançada de forma surpresa!
Existe um "q" de diferença nessa arte de surpreender...
Que torna tudo mais intrigante, instigante...real!


Cristina Lira


sábado, 28 de abril de 2012

Adiante


Imagem da Internet


A cada passo...
Uma surpresa!
Estaria em loucura se parasse de caminhar...


Cristina Lira



Underneath Your Clothes

 
 
 
"Eu amo você mais do que tudo neste planeta
Se movendo, falando, andando, respirando
Você sabe que é verdade
Oh, querido, é tão engraçado
Você quase não acredita

Como toda voz depende do silêncio
E luminárias dependem de um teto
Como uma dama amarrada a suas convenções
Estou amarrada a este sentimento"
 
***
 
 
 

Il mio cuore ti sta chiamando


Imagem da Internet

Il mio cuore ti sta chiamando

Il mio cuore ti chiama segretamente
Il tuo nome echeggia qui
La mia gioia è vivere
Per amarti sempre, anche se ho solo
Che il mio amore puro e sempre sarà vostro!

Cristina Lira 

 Meu coração chama por ti

Meu coração secretamente te chama
Teu nome ressoa aqui dentro
Meu contentamento é viver
Por te amar, sempre, mesmo sendo apenas eu
Esse meu puro amor, sempre será teu! 









segunda-feira, 23 de abril de 2012

Blog Entregues a Deus




Acesse:




Uma mudança começa, quando dobramos nossos joelhos, e erguemos nossa voz em direção a Deus. A mudança acontece não quando vemos os resultados de uma aração no meio externo, mas quando nós mudamos, independentemente do que se tenha pedido ou agradecido.
Quando oramos, rasgamos as velhas vestes e Deus nos veste.
Não importa o deserto, se a boca está seca.
Deus nos ouve!
Entregues a Deus!


domingo, 22 de abril de 2012

Por que complicar tanto???


Imagem da Internet


Mania estranha essa, de todo mundo complicar tudo.
Quanto mais os dias passam, mais percebo...e é tudo tão simples!
 
Cristina Lira 
 

É você...só você



Imagem da Internet



Por que é você
Que rouba meu sorriso e me devolve o infinito
Que abraça minha dor e me devolve amor
Que seca minhas lágrimas e me derrama felicidade

Por que é você
Que agora sustenta minha mão
Que me toma nos braços na hora da queda
Que me trás a paz em meio a essa guerra

Por que é você
O sorriso mais lindo nos meus olhos
Você que levanta os muros ao meu redor
Que doce beija, que doce faz...amor...

Cristina Lira


Apenas poesia, nada mais...






Estou aqui tentando me enganar
Adiando mentalmente esses dias que você não mais existirá
Estou tentando driblar tudo isso
E de vez em quando me lembro desse sentimento
Que não some junto com você
Você se vai, e todo esse amor ficando cada vez mais
Aumentando sempre todo dia mais
Enquanto você se vai
Se você pudesse levar um pouco disso com você
Mas não, e vou ficando com cada detalhe de tudo que vivemos
Por que vivi intensamente cada instante
Estou tentando adiar o que vai restar de mim
Depois que você definitivamente não mais existir aqui
Apenas foi verdadeiro tudo que senti e sinto
Melhor ainda que tudo isso fosse verdade
A dor só não é maior porque
Tudo isso é apenas, poesia....
Apenas poesia, que também adia, adia...poesia

Cristina Lira



sábado, 21 de abril de 2012

Asas delicadas



Asas delicadas tem nossos sonhos
Os desejos que plantamos dentro de nós
Quando desaflora, ou nasce, ou brota e morre
Asas delicadas, que precisam estar voando

Uma coleção de sonhos
Nunca pode ser menor, a ponto de não se sonhar
Uma coleção de sonhos não pode existir
Se não houver o desejo de realizar

O que sonho molda o que faço
Não se pode viver como ser que vegeta
Não importa se a vida venha como poucas realizações
Mas os sonhos, os projetos, os ideais, nunca podem faltar.





Você chegou



Você chegou calmamente
Declamando a vida
Declarando amor

Chegou de mansinho
No seu jeitinho
Me fez esquecer a dor

E de forma graciosa, e tão contemplativa
Sussurrou as palavras que ecstasiaram meu dia
Tão humilde em cada gesto
Dividimos horas de afeto.

Cristina Lira


Minhas leituras


Estou lendo atualmente.
É um excelente livro!
A história é apaixonante!!!


Terminei de ler esse livro, e sinceramente vai para o primeiro lugar junto com O vestigio e Senhora das Savanas, ah..e Papisa Joana.
Esqueço tudo quando estou lendo...


Cristina Lira
Bom fim de semana a todos vcs meus amigos!


Viajante

Como um rio que corre, ou que na pior das condições seca!
Ou encaminha suas águas a algum lugar, ou a alguem.
Quando se tem os pés no chão e se pode caminhar,
As vezes não se sabendo para onde.
Por que você corre e se depara com muros gigantes,
E pinturas que ganham vida, algumas assombram,
Mas ai você recolhe a rosa do chão,
Aquela que nasceu entre a calçada, e você se fere,
E solta a rosa num canto qualquer.
Por que tudo aqui pareceu um labirinto,
Ruas onde se corre, quarteirão após quarteirão, e no fim apenas descobre, eis um labirinto.
E um feixe de luz esbarra no rosto,
Fazendo erguer as mãos aos olhos, e apertar bem os olhos, tentativa de abri-los depois.
E você gira, e gira, e tudo ao redor gira com você.
Sincronia, talvez!
E você para, mas tudo continua numa rotação constante, as pinturas, as imagens...
e tudo vai se misturando, a ponto de parecer com uma tinta agitada pelo pincel de um artista.
Levanta-se, apalpando os muros, respira e vê, lá no horizonte o Sol faz um caminho convidativo.
E simplesmente se vai... pegadas deixadas para trás...

Cristina Lira




sexta-feira, 20 de abril de 2012

Além das "tempestades"



Acima das nuves de tempestades
Ainda permanece um lindo dia de sol...

Cristina Lira



Filhos do amor



O que somos?
Um disco lançado entre obstáculos
Que bate em pilares e ao parar
Deixa-se mostrar cheio de arranhões
Somos seres especias
Obra prima da criação
Sujeitos as nossas escolhas
Inevitáveis arranhões
Inevitáveis marcas leves ou eternas
Por que é assim que se aprende
Vivendo...
Não há outro meio se quer
E esse, apesar das batidas e quedas
É a melhor de todas as coisas
Bem sabe que aprende
Quem de tudo absorve a lição
Aquela tal "moral da história"
O que somos?
Qualquer palavra poderia nos definir
Mas prefiro acreditar numa unica
Amor!

Cristina Lira


 

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Algo diferente




E agora, simplesmente...
Há algo bom, muito bom  acontecendo...
Um estado de ser em plenitude
E tudo porque...algo diferente está acontecendo agora...


Cristina Lira



Agora não






Horas em que se está de cabeça baixa, olhando sabe -se lá para onde
Ergue-se a cabeça e olha o vazio diante dos olhos
Respira-se fundo e repensaas decisões a serem tomadas
Algumas coisas são tão enigmáticas

As mãos vão ao rosto, gesto movido ainda pelo pensar...decisão tomada...
Ergue-se e encara o que tem para encarar
Com garra e decisão, não como quem se acovarda
Toda vez que a tropa inimiga aparece

E se alguma voz atrás gritar, chamar...
Sem olhar para trás, estende-se a mão na direção do som
E num gesto de "agora não" continua a jornada
Se for forte o bastante, nada irá fazer com que pare...nada!

Cristina Lira





Deixando os rastros


Pouco importa a estação do ano, só não se pode parar. 
Por que o sol perderia sua luz, e a lua não transportaria a nós seu brilho. 
Debaixo de tempestades, a altas temperaturas...e nos mais diversos e estranhos ambientes.
 Mas continuando a deixar os rastros no chão.
O vento passa e trás o melhor perfume das flores de primavera,
 enquanto nuvens sofrem condensação. 
Para-se um pouco, olha-se a volta. 
Ergue o rosto, e vê adiante, um caminho longo,
 mas que vale a pena ser percorrido para se saber onde vai dar.
 Pode ser uma estrada sem fim, 
mas o melhor acontece quando se estar a caminho.


 Cristina Lira


 

Pegadas de ida






Arrumei as cortinas após fechar as janelas
Conferi se estavam bem trancadas
Olhei o ambiente em volta, um nó na garganta formado
Peguei as chaves e as olhei minuciosamente
Pensamentos vagos
Olhar perdido nas paredes
Sai, fechei a porta.
Coloquei as chaves ao lado, num recanto do chão
Não são minhas as chaves, se fosse as jogaria fora
Mas as deixei ao lado da porta
Por favor, se a porta estiver fechada, não abra
Pois essa porta fechada não volto a abrir
Nesse espaço não quero mais ficar
Eu demorei a sair, mas acredite, se sai foi para não mais voltar
Agora caminho sem olhar pra trás
Sem a importância relevante de tudo por trás disso
Moveis, a casa, o ar, tudo no mesmo lugar
mas os rastros aqui deixados
Diante dessa saída que se transforma em caminho
Nunca mais terá minhas pegadas de retorno
Por que o que era hoje, passa a se chamar "nunca mais"
Não abra essa porta fechada, só por que a chave está ao lado
Não é justo...assim como nunca foi
Tudo que um dia pareceu ser
Guardo o melhor de tudo isso
Quanto a você...esqueça...como lhe convém!

Cristina Lira





quarta-feira, 18 de abril de 2012

Eternidade e não efemeridade



Estou fazendo a minha poesia, apenas
Um texto sem lógica e nexo
Não é pretexto para dizer o que penso
Mas não deixa de ser fruto de um pensamento
Não!
Não entrei na sua vida.
Você entrou na minha.
Se isso foi um descaso do tempo?
Lhe digo, foi o melhor acontecimento.
E mesmo que antes de ver a linha final
Você a tenha enxergado antes de mim
Foi melhor assim.
De tudo jogado e pesado
Esterilize e guarde ou apague
Eu, no entanto, prefiro
Guardar no melhor das recordações
Tudo que foi importante
E todas as vezes que disse que seria para sempre
em todas elas,
verdade prevaleceu.
Cada um enxerga as facetas
A mim, foi apenas revelado
O que a você claramente está escondido
E apenas fico no meu canto
Observando você com venda nos olhos
Mas um dia, você esquece de enxergar assim
E ganha a sábia visão
Depois desse dia, mesmo sem minha existência
Você entenderá a razão
de cada "para sempre" que ouviu.
Não falei de efemeridade
sempre falei de
Eternidade!


Cristina Lira