domingo, 8 de abril de 2012

Parti...não tão longe




Ainda é edaz a percepção de sentir

Estimo que assim seja, demora infinda

Antes pudesse evolar-me

Ou evulsar de mim a existência solista

Desse ter amor, querer bem, muito bem...

Mas estimo que assim seja

Demora infinda, porque é inacabável

Esse depósito e amar o qual sou cheia e transbordo

Cálido sentir...calmo sentir!

Preciptado aqui...

Pois é hora de calmaria, emudecer os sons

Guardar tudo que teria para ser dito.

E nesta amálgama de emoções verdadeiras

Fecho os olhos e respiro suavemente

E a alvura de tudo permanecerá

Sempre aqui...laço jamais desfeito.

Eis o alvará, que nunca precisarei ceder

Por que a liberdade total sempre existiu

inalienável as emoções, jamais a outrem!

E não me torno inane, nem poderia...

Depois de um sorrir leve, quase imperceptivel


Parti...


Mas não tão longe que não consiga ouvir tua voz!



Cristina Lira