segunda-feira, 12 de março de 2012

A forma de olhar


Uma rua pode se construir a sua frente
Uma ponte, um castelo, um império antigo
A mais desenvolvida metrópole
O mais surreal cenário, as imagens mais inóspitas possiveis...
Diante de nossos olhos tudo pode ganhar uma interpretação pessoal
E até mesmo a mais mórbita cena tem lá suas belezas
Se destituimos mais, o lado preto e branco, do que ante nós se apresenta
Se enxergarmos com menos rigor
Poderemos comtemplar as coisas como elas são
Nada a mais, nada a menos
Mas exatamente como é!
Transforme suas ruas e avenidas
Transforme o palco da sua vida
Tavez precise de uma orquidea naquela janela
Um girassol naquele canteiro
Quem sabe uma horta neste outro espaço
A forma como se vê o mundo exterior
Depende muito de como seu interior se encontra
Como está sua cidade interna.
Suas estações!
O problema não está em ver as coisas em volta
E sim, em como se olha.

Cristina Lira

 

As vezes



As vezes você pode, ao olhar sua imagem refletida no espelho, e se questionar: " Por que comigo? Por que assim?" Você pode fazer isso a vontade, contanto que depois de secar as lágrimas, você faça valer o tempo perdido, com perguntas sem respostas.

Cristina Lira