quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Caixa de música


Fosse fácil apenas seguir um ritmo, não se importar para que lado ir, e que posição seguir. Se fosse fácil apenas seguir o som da música sem se importar com os passos, e não tomar decisões, pois elas já estariam tomadas. Apenas seguindo o ritmo, que acontece...
Mas não é assim...
Nada funciona como uma caixinha de música. 
Seria tão fácil a expressão eterna de felicidade, igual aquelas bailarinas que enfeitam os móveis, igual as bailarinas de caixa de música, igual aos carroceis....
E cada passo que damos nos leva a um passo seguinte, que na maioria das vezes não dá para se fazer previsões. Na realidade, alguns até são como que bailarinas e bailarinos, como peças de gesso ou outro material qualquer, que dançam conforme a música que outros tocam. E permanecem sesseis.
Ahh...tão estranhas as caixas de musicas que acontecem no dia a dia de muitos, girando e girando e não se sai do lugar, e de tanto andar em circulos um momento se cansa e se para, simplesmente se para...
Passos largos, seguros e rumo ao que se quer.
Que a musica tocada seja dançada pelo proprio tocador
Que um giro dado, um contorno refeito, não seja motivo para se desistir de algo que muito se quer.
Que as dificuldades não nos leve a perder nossa fé.



Cristina Lira




Relógio parado




As ruas um pouco desertas, quase não se vê nada em movimento.
O vento passa barulhento pelo silencio dos homens
E arrasta as folhas no chão, e elas dançam no seu compasso
Olhar perdido num vazio
De fora e dentro de mim
Olhar num céu brilhante, em meio as penumbras
E tudo em volta tão congelado
Como se o tempo estivesse parado
Apenas o ar circulando da a sensação de realidade
Os pensamentos vão a solta
Tão desordenados e descontrolados
Ganham a situação, voam no momento
Tudo parece tão deserto de repente
O agasalho não aquece tanto
Parada apenas, entregue a leves movimentos da natureza
Viajante sem tomar nenhuma condução
Perdida sem ao menos sair do lugar
Braços que encontram a si mesmos
E do silencio apenas brota silencio
Leve sensação de relógio parado...


Cristina Lira