domingo, 17 de junho de 2012

AUTO - des - controle

Imagem da internet

Se todas as vezes tivesse obedecido ao meu auto descontrole
Teria todas as vezes quebrado as vidraças
Lançado os livros que estavam em cima da mesa
Teria falado as palavras que, como enchente, invadiam minha mente.
Teria falado mentiras, e algumas tantas verdades
Teria gritado alguns desabafos
Teria apagado algumas coisas, ou pessoas

Mas se tivesse agido assim
De certo não seria mais a mesma
Pois teria mudado a radicais sem precedentes
E nunca mais me reconheceria!

E como não obedeci ao descontrole
Não quebrei as vidraças, embora algumas tenham ganhado trincões
Não desarrumei os livros, os organizei
Não falei das palavras tempestuosas que inundavam minha mente
Antes provoquei sol forte para secar as áreas alagadas
Falei das verdades, apenas!
Desabafei, mas sem gritos!
Nada apaguei, nem coisas ou pessoas...


E permaneci me reconhecendo!
E me sinto bem...


Cristina Lira





Nenhum comentário:

Postar um comentário