quinta-feira, 19 de abril de 2012

Deixando os rastros


Pouco importa a estação do ano, só não se pode parar. 
Por que o sol perderia sua luz, e a lua não transportaria a nós seu brilho. 
Debaixo de tempestades, a altas temperaturas...e nos mais diversos e estranhos ambientes.
 Mas continuando a deixar os rastros no chão.
O vento passa e trás o melhor perfume das flores de primavera,
 enquanto nuvens sofrem condensação. 
Para-se um pouco, olha-se a volta. 
Ergue o rosto, e vê adiante, um caminho longo,
 mas que vale a pena ser percorrido para se saber onde vai dar.
 Pode ser uma estrada sem fim, 
mas o melhor acontece quando se estar a caminho.


 Cristina Lira


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário