quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Cá dentro





Dentro, cá dentro acontece de tudo!
Origem de todos os conflitos
Porta para as soluções
Dentro, cá dentro
Acumula-se tanto que nos prostra
Mas é dentro, bem dentro de nós
Que está a força para erguer-se, e reerguer-se...
Cá dentro de nós
Chaves da felicidade
Penduradas, algumas empoeiradas
E tudo porque demoramos muito buscando lá fora
O que está
Cá dentro de nós...


Cristina Lira




Te amo





Você
Esse chocolate com pimenta de todas as horas
Sorriso que às vezes nasce leve e demora
De tudo que eu já te disse, uma parte repito agora
Só pra que não esqueças o quanto.........> Te amo


Cristina Lira 


 

Esquecimento


 

Jamais vou esquecer como sorrir.
Mas um dia vou esquecer de chorar...

Cristina Lira

Novos dias





Que bom que amanhã é um novo dia!
Que bom que o sol existe.
E eu não preciso anoitecer com o dia de hoje!
Cristina Lira

I(mortal)




Por que às vezes o doce que se tem parece derreter, e amargar... Descer como fogo de garganta abaixo. É quando, num instante de devaneio, você nota o que talvez nem exista. E você nota, não no mundo, mas em você... Por que muitas das imagens negativas que vemos, parece que as compomos de uma forma multifacetada. Quando você nota que todas as palavras, não são todas as palavras... Sua fonética parece que não ecoa, um nó em volta da voz se forma, e as palavras saem atropeladas, e por vezes não são entendidas. O que fazer quando a pele arrepia, e o tempo vai se esquivando, escorregando por entre os dedos. E você só diz, com voz travada, lá dentro: “Não, não é bem assim”. E pétala por pétala cai, desfolha-se, vento que passa... Redemoinho que passa... e leva...e trás... e no meio de um monte de imagens que giram, apenas se fica no centro, em paralisia total, olhando tudo se passar em volta. Mas mantêm, apesar do frio ao redor, as verdades que sempre acompanham. Estranhas verdades, estranhas crenças... Estranhas por serem diferentes? Talvez... Mas não deixam de ser estranhas... Incomuns. E prevalece o que acredita, e prevalece o que ama. Algumas coisas nunca mudam, já disseram por ai.  O que se faz quando um relance no olhar deixa cair uma chuva, chuva na alma que transborda no corpo. E você apenas diz “não é bem assim”. E você se tece nas verdades, mas talvez as verdades que se carregam, para o resto do mundo só sejam ideias... E você vai se sentindo uma estranheza. Estranheza de gente, estranheza de ideias.

Cristina Lira

Não se esqueça de você



Não se esqueça de você
Não se deixe em um canto qualquer
Sorria pra você
Converse com você
Viaje com você
Ouça o que você tem a dizer a você
Não se julgue
Não se condene
Não seja um tribunal
Não se castigue
Mas seja livre
Não se transforme numa cadeia
Cuide de você
Se ame...você pode fazer isso melhor que ninguém
Depois de um convívio desses consigo
Você estará quase no ponto para conviver com os outros
Quase...
Por que o outro é uma descoberta constante
E nem sempre é uma descoberta em si próprio
Então...não se esqueça de você
E não se jogue num canto qualquer
E jamais esqueça e nem permitam que te faça esquecer
O quanto especial é você

Cristina Lira




Metade dos caminhos



O desejo de realizar
Já é por si só
Metade do caminho andado

A vontade de acertar
Já é por si só
Metade do acerto

O resto
O que falta
É estrada, e é só caminhar

É difícil, trilhos e pedras
Perigos e rezas
Ora se está de pé, ora se tropeça

Mas o desejo
A vontade de acontecer
Já estimulam o espírito a ir adiante

Querer também é
Parte da conquista
Pois só se tem bem, o que se deseja.


Cristina Lira