segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Das chances de todos os dias





Todos os dias
Nos é dado gratuitamente
A capacidade de mudanças...

Cristina Lira






Frente ao espelho





E eu nem me recordava
Que precisava conversar
tanta coisa comigo!

Cristina Lira




Rotas




Eu vivi um milagre...
E simplesmente é...inexplicável!
Senti o toque das mãos de Deus...


Cristina Lira


 

Humanos "árvores"




Uma árvore plantada em solo fértil.
Logo uma vida se desenterra.
E em meio a intempéries, cresce.
Eis uma gigantesca árvore
Que abriga um pequeno mundo em sua sombra.


Cristina Lira



Estranha


E ela não aprendeu a pensar como o mundo.
Pensava diferente, agia diferente, se comportava diferente.
Mas acreditava que havia( e há), outras tantas pessoas como ela.
Uma minoria.
Pensava assim e não se sentia sozinha.
E ainda vivia.


Cristina Lira


O passo da dor



O pior sofrimento é aquele que
nasce dentro da gente
Que se fecunda sozinho
De gestação complicada
E aborta as dores do parto
No corpo, coração e alma.


Cristina Lira


Mãos de Deus



Os sons tornando-se abafados
Angústia de procurar ar
E não achar
Movimentos
Na tentativa de sobreviver
Mãos que buscam apoio
Para o corpo sustentar
Pés sem solo para se firmar
Uma força que puxa para o fundo
E por último
A mão salvadora que eleva
E deixa viver
A mão Daquele que governa
Céus, Terra, tudo!


Cristina Lira



segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Amor da cor de canela





Apressou-se para recolher o que restara daquele parto indesejável, desprezível e arruinador (palavras que repetia em sua mente). Pegou o corpo forte, que insistia em viver, pele morena. Um lindo menino cor de canela, mãos fechadas, como quem guarda algo em segredo. Fitou-o por alguns instantes, e como quem joga fora um antigo objeto, movido pela duvida de guardar mais um pouco ou desfazer-se logo, decidiu e fez, o que há muito já havia planejado para esse momento. Envolveu-o em tecidos velhos, surrados, e o deixou ali...  A mercê da própria sorte. Saiu sem olhar pra trás, apenas saiu. Algumas vezes o caminho a frente pode ficar longo demais, quando se olha pra trás. E se foi, e sumiu junto ao crepúsculo que sumia. E o lindo menino cor de canela, quietinho, quentinho, mantendo-se sabe –se como, resistindo sabe-se lá, as adversidades do ambiente. Há alguns metros alguém de andar cambaleante, pulsante de dor, cabelos longos e negros, olhos lagrimejantes, alagados de dor. Sem esperanças, e já nem esperava. Andava como se carregasse toneladas de concreto nas costas, mãos vez ou outra na face para afastar as lágrimas que a impediam de enxergar o caminho.  Repetia para si mesma o quanto era sozinha, miserável, indigna...e que jamais sentiria felicidade, pois esta jamais a conheceria. E assim caminhou, até que o sofrimento a fez desfalecer, e por fim caiu em terra. E a noite seguiu, madrugada mais fria do ano. E antes mesmo de o sol erguer-se, tornou a abrir os olhos, dessa vez não com olhar de dor, ou frustração...mas de desespero misturada a espanto, e uma serie de perguntas caindo-lhe sobre a cabeça como se fosse uma enxurrada. Viu que bem junto a seu corpo, estava de forma aconchegada um corpinho cor de canela, tão a vontade, como se o tivessem posto ali para uma fotografia memorável. E o tocou na face, e este quase que inconscientemente, desenhou um sorriso. Sorriso de olhos fechados, mas com os olhos do coração abertos. A única atitude que teve foi, pegar aquela pessoinha tão pequena e envolve-la, protegendo-o assim do frio daquela manha. E se questionou: “Eu te aqueci durante a noite, ou você me aqueceu e me salvou?” E naquela manha ela apenas segurou aquela criança, a quem pós o nome de Daniel. E recordou de sua infância em orfanatos, e no quanto teria sido feliz se alguém a tivesse a abraçado e falado de amor. E abraçou aquele menino mais forte ainda, à medida que o chamava de “meu filho”.

Ninguém precisa de uma razão pra viver, mais pode dá razões pra vida acontecer. E sem se questionar tanto... apenas viver, e viver e viver...


Cristina Lira



quarta-feira, 19 de outubro de 2011

A vida passa rápido demais







Olá meus amigos! tudo bem?
Há algumas horas atrás estive pensando o quanto  nossa vida é breve. Isso mesmo... pode parecer que não, mas é!  Quantos momentos já vividos? Quantos a se viver? E no entanto não temos controle de absolutamente nada, quando o quesito se trata de tempo de vida. Sabe, e é ai que as coisas se complicam um pouquinho. Nós nos preocupamos muito com o que vai acontecer na semana que vem, no mês que vem...e até no ano que vem. Mas, um instante...e o dia de hoje? O que realmente está valendo a pena, como fica? Ahh, desculpem-me, mas somos desastrados....quando esquecemos que o que conta é o agora que acontece bem diante de nossos olhos, sendo que muitas vezes reagimos com indiferença por estarmos preocupados com algo que ainda vai acontecer...isso se acontecer! E o que realmente está acontecendo simplesmente terminamos por não dar tanta importância.
E os mistérios? E a fé? E a matéria? E o Espírito?
Incrível como algumas verdades ou conceitos vão sendo apagados ou pouco vivenciados!
Acreditamos em Deus? Otimo que creiamos...e se acreditamos que existe um Deus, por que não acreditar que existem anjos, demônios, bondade, maldade, luz, trevas? Alegrias, felicidades e tristezas...E por fim, o motivo que me levou a dar toda essa enrolada...vida espiritual!
Talvez nem tudo que nos falam sejam palavras ditas realmente por quem as fala, principalmente se essas palavras machucam. Talvez nem todas as cenas que vemos num dia sejam realmente materiais, e por que não poderiam, algumas delas, serem espirituais? Já que somos matéria e espírito?
Mas o fato é...a vida passa rápido demais. E nós perdemos tempo com bobagens, futilidades, e acabamos por esquecer num canto qualquer o nosso eu, nos negamos o direito de sermos felizes. Pior..muito pior....permitimos que as outras pessoas tenham autoridade sobre nós e nos apliquem injeções de desânimo. É, amigos, viver não é fácil! É batalha... Mas não há necessidade de ser uma constante guerra... Está difícil pra sorrir? Esforçe-se e sorria...nunca ouvir falar que chorar resolve alguma coisa. O problema é grande demais? Não consegue pensar numa solução? Não há necessidade de desespero, as vezes tudo se resolve de uma forma que não esperávamos, ficar mastigando os problemas nos botões de nossa mente só irá trazer aflições internas, e estragar a vida. A vida passa rápido demais...meu Deus! Como ela vai rápido! Então turminha, rsrs...se pudermos amar ao máximo, amemos... mesmo que o mundo diga que não, mas se trás felicidade, rememos contra as "marés". Ame, cante, sorria, dance... e sinta-se bem. Não seja mercadoria pra ninguém! Valorize-se e acredite em você...acreditemos em nós. E por mais que tudo pareça impossível de ser e acontecer, no fim tudo sempre dá certo. Não vamos dar o gostinho de que nos vejam péssimos, caídos e de asas quebradas...não! A vida passa rápido gente, ser feliz, mesmo que as circunstancias digam, e gritem (e gritam) não. Vamos vivendo...sem jamais esquecer de nós. Não se pode amar o mundo se não se ama a si. E a felicidade que queremos não estar nas pessoas ao nosso redor, está em nós mesmos. E é uma escolha maravilhosa.  Tenham todos um excelente dia. Que jamais esqueçamos que, não é porque não conseguimos perceber ou acreditar em algo, que esse algo não existe.
A vida?
Ahhh...essa passa rápido! Aproveite pra sorrir, e quanto ao resto...bom, tudo passa...tudo sempre passa. 


Cristina Lira


O que já falaram sobre a vida:

" A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos. "
" Não devemos ter medo dos confrontos... até os planetas se chocam e do caos nascem as estrelas."

" Hoje levantei cedo pensando no que tenho a fazer antes que o relógio marque meia noite. É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje. Posso reclamar porque está chovendo ou agradecer às águas por lavarem a poluição. Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças, evitando o desperdício. Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo. Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria ou posso ser grato por ter nascido. Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter trabalho. Posso sentir tédio com o trabalho doméstico ou agradecer a Deus. Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades. Se as coisas não saíram como planejei posso ficar feliz por ter hoje para recomeçar. O dia está na minha frente esperando para ser o que eu quiser. E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma. Tudo depende só de mim."

sábado, 15 de outubro de 2011

Botão de felicidade




Um botão de felicidade
Logo, logo... um jardim inteiro!


Cristina Lira



Eu criei





Eu criei um mundo
Quando ainda pouco sabia deste mundo aqui
O mundo que eu criei acontecia dentro de mim
E as vezes dá vontade de sair correndo deste mundo
Para o mundo que criei só pra mim
Não que este mundo de fora não me faça feliz
Mas meu mundo aqui dentro é do jeito que sempre quis
E não tem das coisas que fazem infeliz
Mas que surpresa quando se descobre
Que o mundo de fora depende de um mundo aqui dentro
E tudo pode ser ao menos parecido com o que se quer



Cristina Lira








sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Vida vanguarda



Acordo e imagino quais serão as surpresas do dia.
E esquematizo meus planos A, B, C...
Mas com uma certeza... a vida sempre surpreende com algum acontecimento.
Viver é uma eterna vanguarda!
Você imagina, pensa, traça metas...afinal, é necessário objetivos.
E as surpresas vem quando você pensa que  o dia vai ser aquele terror, e na verdade não acontece nada do esperado e o que seria trágico se transforma no melhor dia da semana. E o que você planejou com tanta dedicação começa a surtir falhas, como tijolos caindo de uma parede, e de repente tudo fica uma bagunça, e calmamente ou quase explodindo se vai contornando, reorganizando.
Não dá pra prevê nada, podemos criar nossas hipóteses, teorias, investigar.
É bom demais que a vida seja assim, um baú gigantesco de surpresas.
Que bom que não temos a capacidade de saber o que vai acontecer amanha, mas temos o milagre de se viver e enfrentar as provas que nos serão impostas.
Quando o dia amanhece, na minha cabeça amanhecem também várias ideias, um mundo delas...e algumas são tão doces de imaginar, que encho novamente a xícara com café, pra ficar mais um pouco pensando.



Cristina Lira





Céu da mente





Abriu as portas, chuva forte lá fora. Largou o guarda-chuva, e seguiu a passos rápidos pelas ruas, a roupa sendo tingida pela água...ruas que não acabavam mais, cabelos pesados pela água da chuva. Retirou a sandália dos pés, começou a correr, rosto molhado, talvez por outra água, outro liquido de não cair do céu, talvez do céu de sua mente.Cenário cinza, frio...e por fim chegou próxima a uma árvore, onde caiu e deitou, num abraço próprio, e expressão facial de quem expulsa-se de si mesmo, permaneceu ali...enquanto a chuva lavava seu corpo, e as lágrimas, sua alma. Um bom tempo depois, as nuvens cessaram, e um sol alaranjado, de raios frios, ergueu-se, fazendo sumir aquele acinzentado. E abriu os olhos, pesados...sorriu levemente. E sentiu que algumas tempestades devem mesmo cair, e com força...depois o sol apareçe suave, aqueçe e renova. Levanta...mais leve!


Cristina Lira



quinta-feira, 13 de outubro de 2011

1 ano na blogosfera


Olá !!!
Passo hoje para deixar um abraço a todos vcs que estiveram acompanhando o Silencio! Compartilho com todos o aniversário de um ano deste Blog, e agradeço a amizade de cada um de vcs. De coração, valeu pela companhia, fiquem a vontade e sintam-se abraçados. Obrigadaaaa...
Bjos no coração de todos.
Este blog me proporciona bons momentos todos os dias. E é motivo de uma das minhas maiores alegrias!

Fiquem todos com Deus!!!





P.S.: Quase que eu esquecia!!! rsrsrs
O níver do meu blog....
Mas entre tantas coisas...eu lembrei...
1 ano na blogosfera! Não tive tempo para organizar uma festa..rsrs...depois recompenso!!!

fui...


Cristina Lira




quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Cá dentro





Dentro, cá dentro acontece de tudo!
Origem de todos os conflitos
Porta para as soluções
Dentro, cá dentro
Acumula-se tanto que nos prostra
Mas é dentro, bem dentro de nós
Que está a força para erguer-se, e reerguer-se...
Cá dentro de nós
Chaves da felicidade
Penduradas, algumas empoeiradas
E tudo porque demoramos muito buscando lá fora
O que está
Cá dentro de nós...


Cristina Lira




Te amo





Você
Esse chocolate com pimenta de todas as horas
Sorriso que às vezes nasce leve e demora
De tudo que eu já te disse, uma parte repito agora
Só pra que não esqueças o quanto.........> Te amo


Cristina Lira 


 

Esquecimento


 

Jamais vou esquecer como sorrir.
Mas um dia vou esquecer de chorar...

Cristina Lira

Novos dias





Que bom que amanhã é um novo dia!
Que bom que o sol existe.
E eu não preciso anoitecer com o dia de hoje!
Cristina Lira

I(mortal)




Por que às vezes o doce que se tem parece derreter, e amargar... Descer como fogo de garganta abaixo. É quando, num instante de devaneio, você nota o que talvez nem exista. E você nota, não no mundo, mas em você... Por que muitas das imagens negativas que vemos, parece que as compomos de uma forma multifacetada. Quando você nota que todas as palavras, não são todas as palavras... Sua fonética parece que não ecoa, um nó em volta da voz se forma, e as palavras saem atropeladas, e por vezes não são entendidas. O que fazer quando a pele arrepia, e o tempo vai se esquivando, escorregando por entre os dedos. E você só diz, com voz travada, lá dentro: “Não, não é bem assim”. E pétala por pétala cai, desfolha-se, vento que passa... Redemoinho que passa... e leva...e trás... e no meio de um monte de imagens que giram, apenas se fica no centro, em paralisia total, olhando tudo se passar em volta. Mas mantêm, apesar do frio ao redor, as verdades que sempre acompanham. Estranhas verdades, estranhas crenças... Estranhas por serem diferentes? Talvez... Mas não deixam de ser estranhas... Incomuns. E prevalece o que acredita, e prevalece o que ama. Algumas coisas nunca mudam, já disseram por ai.  O que se faz quando um relance no olhar deixa cair uma chuva, chuva na alma que transborda no corpo. E você apenas diz “não é bem assim”. E você se tece nas verdades, mas talvez as verdades que se carregam, para o resto do mundo só sejam ideias... E você vai se sentindo uma estranheza. Estranheza de gente, estranheza de ideias.

Cristina Lira