terça-feira, 4 de outubro de 2011

Eu não desisto de você

 

Eu não vou desistir de você
Não vou te deixar
Ao teu lado, eu sei
É o meu lugar

Eu não saio de você
Eu não desocupo tua vida
Eu me plantei
E minhas raízes são profundas

Eu não vou desistir
Não vou te deixar
Vou permanecer
Não importa onde a correnteza vai levar

Não é assim tão fácil
Abrir mão de você e pronto
Podem vir grossas tempestades
Mas a ti vou estar junto

Eu não vou desistir de você
Eu não te deixarei jamais
A menos que você me peça
Pra ir embora e te deixar em paz

Eu não vou desistir
Você não está sozinho
Eu te amo e não te deixo
É na mesma taça que sorvemos o vinho


Eu não vou desistir de você
Por nada volto a trás
Te amo e te quero pra sempre
Não preciso de nada mais

Cristina Lira



Fazer acontecer




O mundo aconteçe quando você se move...

Cristina Lira



Tópicos




Percursos





...e eu já tive que morrer tantas vezes...
...e eu já tive que aprender a nascer de novo mais vezes ainda...

Cristina Lira


Volta por cima



Não importa o que está acontecendo, importa se você ainda existe!
É sempre hora de dar aquela "volta por cima"...

Cristina Lira


Horas vagas


Doce mistério esse das horas vazias.
O som do tic-tac do relógio fica audível como uma construção em desmoronamento
O assobio do vento em suas curvas por entre muros,
e o farfalhar das folhas nas copas das árvores e o seu tinir áspero ao cair no chão.
Doce mistério esse das horas vazias.
Calam-se as vozes, emudecem-se os timbres, o pensamento agora tem som.
Vazio das horas, onde se ouve os batimentos cardíacos e a própria expiração, e a tão leve inspiração. 
Inspiração do ar e da alma.
E o frio percorre o corpo congelando os movimentos, paralizando o olhar. Nenhum gesto, nenhum movimento, apenas uma sincronia estonteante de sons.

Cristina Lira


O que se esqueçe e o que não se esqueçe


 
Esqueci minhas bonecas num canto qualquer
Minhas brincadeiras sempre foram muito reais
E meu faz-de-conta um faz-de-realidade
Esqueci de aprender a viver as fases despreocupantes da vida
Mas jamais esquecerei a primeira vez que andei descalsa
E afundei meus pés num lamaçal
Do primeiro banho de chuva
E a forma como tua presença adoçou minha vida.
Entre esqueçer e não esquecer
Viver conta muito mais.


Cristina Lira