sexta-feira, 3 de junho de 2011

Ciclos de vidas



E vão seguindo, 
caminhando entre ruas, 
se esquivando nas esquinas 
a procura de mais um dia, 
pois a noite lhes traz inseguranças, 
vão caminhando 
e são pegos pelo cansaço 
e o sono lhes arremessa ao chão, 
ao relento, 
e dormem 
sem saber se outro dia haverá 
e sem saber se serão dias melhores...
talvez farão o mesmo percurso, 
talvez não, 
mas de tudo que lhes foi tirado, 
apenas uma coisa restou, 
e esta jamais será pega por "ave de rapina" alguma... 
lhes restaram a esperança.

Cristina Lira