quarta-feira, 23 de março de 2011

Paranóia



Estou numa constante fuga...fugindo da perseguição compulsiva da minha mente.
Não...não é aquela fuga que se encontra caminhos para serem percorridos. Mas daquele tipo onde você foge de você.
É uma fuga do juiz cruel que me persegue, que me condena, me estraçalha, sem oportunidades de defesa.
Fuga do ladrão que há em mim, que me rouba os sentimentos.
É a tentativa ofegante de escapar de uma sala de espelhos, que se multiplicam e correm em circulos ao meu redor.

Cristina Lira



Estou me livrando de tudo que me faz mal.
Cristina Lira