domingo, 20 de março de 2011

Mudanças - Edson Marques



Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa. Mais tarde, mude de mesa.
Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua. Depois, mude de caminho, ande por outras ruas, calmamente, observando com atenção os lugares por onde você passa.
Tome outros ônibus.
Mude por uns tempos o estilo das roupas. Dê os seus sapatos velhos. Procure andar descalço alguns dias. Tire uma tarde inteira para passear livremente na praia, ou no parque, e ouvir o canto dos passarinhos.
Veja o mundo de outras perspectivas.
Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda. Durma no outro lado da cama... Depois, procure dormir em outras camas. Assista a outros programas de tv, compre outros jornais... leia outros livros.
Viva outros romances.
Não faça do hábito um estilo de vida. Ame a novidade. Durma mais tarde. Durma mais cedo.
Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua.
Corrija a postura.
Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes, novos temperos, novas cores, novas delícias.
Tente o novo todo dia. O novo lado, o novo método, o novo sabor, o novo jeito, o novo prazer, o novo amor.
A nova vida. Tente. Busque novos amigos. Tente novos amores. Faça novas relações.
Almoce em outros locais, vá a outros restaurantes, tome outro tipo de bebida, compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo, jante mais tarde ou vice-versa.
Escolha outro mercado... outra marca de sabonete, outro creme dental... Tome banho em novos horários.
Use canetas de outras cores. Vá passear em outros lugares.
Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.
Troque de bolsa, de carteira, de malas, troque de carro, compre novos óculos, escreva outras poesias.
Jogue os velhos relógios, quebre delicadamente esses horrorosos despertadores.
Abra conta em outro banco. Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros, outros teatros, visite novos museus.
Mude.
Lembre-se de que a Vida é uma só. E pense seriamente em arrumar um outro emprego, uma nova ocupação, um trabalho mais light, mais prazeroso, mais digno, mais humano.
Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as. Seja criativo.
E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa, longa, se possível sem destino. Experimente coisas novas. Troque novamente. Mude, de novo. Experimente outra vez.
Você certamente conhecerá coisas melhores e coisas piores do que as já conhecidas, mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia. Só o que está morto não muda !
Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não
vale a pena!

***Texto de Edson Marques
http://mude.blogspot.com/

P.S.: Obrigada pelas informações quanto a autoria do texto pessoal! Bjos...

Rascunho de um Diário


Ainda está aqui comigo o calor do teu abraço. O perfume da sua pele. As lágrimas que jorram de mim são os últimos vestígios da minha alma se esvaindo. Era manhã, o sol estava lindo como nunca esteve antes, acordamos, tomamos o nosso café amargo, ao nosso gosto. Planejamos cada passo e cada lugar a ser visitado naquela rota de excursão. Giramos a chave na fechadura entretidos com o panfleto riquíssimo em anúncios. Descemos as escadas como duas crianças disputando o quem chega primeiro!
A rua estava convidativa, animada e agitada, pelas cores e sabores da região. Pegamos o trem das nove, desembarcamos na estação seguinte e paramos admirados com a beleza de uma velha e antiga casa lendária, o museu, o único museu daquele pequeno lugar.
Um dia perfeito, para se guardar na memória.
Na volta a vida tratou de nos embarcar em caminhos diferentes. Meus braços foram teu ultimo aconchego, caistes sobre eles a leves e imperceptiveis suspiros. E toda aquela estação lotada nos olhavam assombrados, enquanto eu te sacudia e te obrigava a retornar a vida comigo, aos gritos, aos prantos. As cores foram desbotando aos poucos, logo vozes e imagens se confundiram a minha volta, gritei até minha voz cortar, te chamei de volta, torcendo para que os anjos falassem com Deus e te mandassem de volta pra mim. Suas mãos gélidas, sua expressão de riso imóvel...como quis ter partido contigo naquele dia. Braços me agarravam e me separavam de ti, vozes tentavam me acalmar...não, a unica coisa que eu não queria era me acalmar, não queria me se sentir consolada...queria chorar toda dor da tua ausencia repentina. Mas acima do ceu que vejo, acredito que estas a me ver.
Toda fé, toda calma, todo amor, toda energia que você me passou, estas sim são eternas. Estamos seguindo nossa viajem. Há uma estação onde desembarcaremos juntos.

Setembro de 1999

Cristina Lira




Determinação



É preciso lutar pelo se quer como se esse querer fosse o único!
É preciso driblar os obstáculos e derrubar os muros.
Enfrentar desertos
Tempestades
Frios gélidos...

Mas quando se quer algo de verdade
Se vai a luta.
Se vai a caça do tesouro.
Mas não se deixam presas no caminho.
Pois a única presa que existe são os objetivos e 
os ideais traçados.

Cristina Lira


Navegando


Esqueço do mundo lá fora
quando encontro o mundo aqui dentro.


Deixo aqui um frase da música de Cesar Menotti e Fabiano, para aqueles que andam nas ruas e navegam na Net...esses Blogueiros de fibra! rs

" Minha vida fica online só se for ponto com você(s)"