terça-feira, 8 de março de 2011

Oração pela Mulher



Obrigado Senhor
por teres criado no mundo a mulher
E por tê-la enriquecido com preciosos dons:
o carinho, a sensibilidade, a beleza,
a ternura, a dedicação e o amor.
Deste ao homem a graça de encontrar
na mulher:uma amiga, irmã,
companheira, esposa e mãe.
Nela se processa o mistério da vida,
sendo capaz de gerar,
de trazer à luz filhos e filhas.
Sem sua presença no mundo,
o amor estaria fadado à extinção.
E o mundo ficaria pobre e sem sentido.
Perdoa-nos, Senhor,
por nem sempre sabermos reconhecer
o verdadeiro valor da mulher,
por muitas vezes a considerarmos objetos,
sexo frágil e força de trabalho doméstico.
Que também a mulher reconheça seu valor,
sua dignidade e sua missão no mundo.
Que ela não aceite ser instrumentalizada
nem banalizada no seu corpo e nos seus
sentimentos.
Que no corpo e na alma de cada mulher,
possamos continuar encontrando os sinais
de MÃE que nela plantaste,
Amém.
( Frei Zeca)

Parabens a todas nós mulheres...
Que saibamos nos valorizar e amar ao próximo.
Reconhecer nossos direitos e fazer valer o direito daqueles que dependem de nós.

Parabéns a todas as minhas amigas Blogueiras.
E a todos os amigos que compartilham este dia conosco.

Bjos no coração!

E daí se não removi a maquiagem?


Ando a passos incompletos, seguindo o ritmo estonteante dos tambores.
Passando no meio da multidão que me olha escandalizada.
E daí se não removi a maquiagem antes de dormir?
E daí se minha roupa está ultrapassada para o meio dia? Daqui a pouco será meia noite!
E daí que apenas um dos meus sapatos tem salto?
Mas vou passando e o vento espalha meus cabelos por todo espaço ao redor.
Ao a passos incompletos, mas não perco a passada de modelo, e a calçada da rua é minha passarela.

Cristina Lira


Tentativa de fuga




Que me resta fazer?
Os balões escaparam de minhas mãos!
Vou sentar próxima a alguma pedra e lamentar?
Não!
Vou escalar morros, montanhas.
Pegar carona em aviões.
Atravessar os oceanos a nado.
Enfrentar tempestades...
Dormir ao relento, fazer uma fogueira pra me aquecer.
Vou ao topo do mundo, se preciso.
E pegarei suprimentos em casa, depois prosseguirei sem cessar.
Mas sei, que em algum momento devo parar e observar a rota desses balões.
E neste momento vou sentar abraçada aos meus joelhos e sorri, pois agora o cenário muda, e ao observar a trajetória dos balões, os verei vindo em minha direção, e provavelmente cairão ao meu lado.
Seria comico, se esses balões não fossem minha vida.
Vida, ora se corre pra viver, ora se nega a morrer...Quem me dera correr sempre atrás desses balões, nesta tentativa de fuga!

Cristina Lira