segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Maluco Beleza

Hoje recordei uma música do Raul que gosto muito, além de outras. 

Raul Seixas 

Composição: Cláudio Roberto / Raul Seixas

Enquanto você
Se esforça pra ser
Um sujeito normal
E fazer tudo igual...


Eu do meu lado
Aprendendo a ser louco
Maluco total
Na loucura real...



Controlando
A minha maluquez
Misturada
Com minha lucidez...


Vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza
Eu vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza...


E esse caminho
Que eu mesmo escolhi
É tão fácil seguir
Por não ter onde ir...


Controlando
A minha maluquez
Misturada
Com minha lucidez
Eeeeeeeeuu!...


Controlando
A minha maluquez
Misturada
Com minha lucidez
Vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza
Eu vou ficar
Ficar com certeza
Maluco beleza



P.S.: Todos temos nossas Loucuras....


O menino do céu



E no lugar onde ele morreu
O céu fez reverencias
Com uma chuva de clarões
Ao som de fortes raios
Barulhentos trovões
Ao certo, barulho de anjos
Vindo de todas as direções
Para cobrir seu corpo com véu
E sua alma com um abraço
Até o céu chorou, naquele solo verde escasso
Nos braços de um anjo
Sumiu entre a tempestade
Mais um filho deste imenso terraço...

Cristina Lira

Combustão do amor




Teus olhos sobre mim
Tão claros, me fascinam
É uma particula biônica
Fogo e gasolina
*
Este olhar parado
Pousado no meu olhar
Faz acender a faísca
Do desejo de amar
*
Este encontro casual
Premeditado ou sina
Um toque de combustão
Dois corpos, fogo e gasolina.
*

Cristina Lira

Presente

Olá meus amigos, tudo bem?
Hoje, recebi este presente direto do blog do amigo Fernando (Nando), Irmão das Estrelas, um espaço companheiro e original, recomendo uma visita lá, os textos são variados, e a acolhida...ah, é daquelas que nos fazem voltar...rs!
Valeu Nando, obg...

Ao mesmo tempo, repasso este presente a todos vcs, meus amigos... bom, só temos que responder umas perguntinhas básicas, e presentear a mais amigos:
-Tania
-Juuh Nascimento
-Riff
- Kaline
- Luis
-Zuleid 
- Neia
- Renata

E a todos os seguidores de Blog
...

Respondendo as perguntinhas:

  • Nome :Cristina
  • Uma música : Aquarela
  • Humor : Variante
  • Uma cor : verde
  • Uma estação : primavera
  • Como prefere viajar : automóvel
  • Um seriado : Doutor House
  • Frase ou palavra dita por você : Vamos lá, coragem!
  • O que achou do selo :  It is very beautiful...rs...mui lindo!!!
Otimo dia a todos...

domingo, 30 de janeiro de 2011

Ousar



Quando a realidade lhe pesar a cabeça 
e o barulho dos dias lhe desassossegar, 
deite-se para sonhar.
Porém, se a tua mente construir muros de impossibilidades diante de teus sonhos, 
levante-se para Ousar.

Cristina lira

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Beleza

Foto da Galeria de Fabiano Meira      



Classificar as pessoas em feias ou bonitas de acordo com padrões puramente externos é um erro grave, já que a verdadeira beleza é uma porção que reside no interior do ser de cada um.

Cristina Lira


quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Atitude!!!

Olhe para tudo a sua frente.


Não veja os obstáculos...


Enxergue as oportunidades.



Você pode ir até onde seus olhos alcançarem.



Ou até onde seu coração desejar!


Por Cristina Lira

Ah! Coração...


Ah! O que foi coração?
Lá vem você de novo!
O que é que há dessa vez?
É sempre a mesma história... 

Cristina Lira

Acredite em você


Acabei de assistir esse video, resolvi guarda-lo por aqui!
Gostei do desfecho...  e do recadinho que ele nos passa!
bjos

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Transição



Olho para o céu e vejo quase um vazio.
Olho para a terra e vejo tantas coisas...
Olho para o céu e sinto esperança!
Olho para a terra e vejo tanto a ser feito...
No céu vejo orações
e na terra provações.
E olho pra mim
estou exatamente no meio
Eu sou uma transição!

Cristina Lira

Sonhando acordada



Antes de dormir
Com a cabeça no travesseiro
O mundo lá fora silenciando
E uma guerra de pensamentos
Por minha cabeça passeando
Exausta de tanto pensar
Como se não bastasse
Ponho-me a sonhar...

Cristina Lira

Futuro?




O chamaremos de presente amanhã de manhã.
E depois de amanhã de passado.

Cristina Lira

Distração


Esqueço a xícara sobre as folhas do meu caderno...
Novamente as carimbo com a marquinha do meu café!
Nem adianta mais passar a mão ou soprar. Quando seca, lá está, a pista que deduz minha distração...
Deixo um pouco de lado a xícara, e escrevo, esquecendo do mundo agitado que se encontra por trás da janela do meu quarto.
Mas, minha distração é total, quando sento num recanto que dá para ver o céu. Abraço a xícara, aromatizada pelo café, com as duas mãos, e deixo meu olhar se perder pelas folhagens até onde a vista alcançar...as vozes vão ficando abafadas, meus movimentos estáticos e o pensamento flui, caracterizando um quadro de distração total.
Me ergo, coloco a xícara sobre a mesa, arrumo o cabelo...e o dia prossegue, porém, com mais leveza...

Cristina Lira

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

A porta que fechei



Uma porta se fechou para não mais abrir
ela não fechou sozinha
eu a fechei e a bati contra a parede com muita força
Girei a chave duas vezes, conferir a maçaneta
ela não vai mais abrir, pensei... e joguei as chaves longe
elas cairam em um precipício, e não vou pega-las jamais
O barulho da porta foi estrondoso
a fechei com vontade
como nunca fiz com nenhuma das outras portas
mas essa, na verdade, nunca deveria ter sido aberta
e de propósito, talvez, ficou escancarada
mas, num impulso quase que premeditado
a fechei com gosto
conferi  a maçaneta e 
joguei as chaves fora
É apenas uma porta que nunca mais se abrirá,
e a fechei com força num movimento quase que incalculável...
C.Lira

Garra sentimental


Tua garra risca fino.
Fazendo um rasgo no traje do destino.
Um bisturi afiado
Ultrapassando os tecidos vivos de uma alma morta.
Que ressuscita quando o corpo acorda.
Garra que rasga metade de mim,
que separa as partes antes unidas, já bem entendidas.
Que vai ferindo e queimando
cicatrizando e sarando.
E minha face arranhando compassivamente,
enquanto adormeço e de mim esqueço,
para acordar destes cortes
figuras sentimentais , profundas e reais...

C.Lira

Se é pra ser amor, que seja então...



Te quero ao meu lado
Não importa o momento
Seja na paz ou na guerra
Em qualquer acontecimento
E nas minhas orações
Peço ao céu este provimento








Não importa se tua perfeição
só existe ao meu ver
E se aos olhos do mundo
Querem ver-te é desaparecer
Pois essa imperfeição
Aos olhos do meu coração
Faz de ti meu bem querer...







Amor que é ferro fundido
Ouro testado no fogo
Amor que se apresenta em tudo
Pouco importa os nomes
Pra essa sociedade
Onde quem trabalha não come.







Sentimento que resiste
A maior das tempestades
Que sobrevive a seca
E ao frio sem cobertor
Nesses momentos se sabe
O que é o verdadeiro amor




Amor que de tão romantico
é chamado de brega
Que dá aos rostos apaixonados
Outro tipo de esfera
Se rir a troco de nada
Sabe que toda alma é bela.







C. Lira

A bússola da minha alma



Vai, minha alma!
Tu que tens olhos de águia.
Encontra pra mim
o que os meus olhos não conseguem ver
mas meu coração consegue sentir.
Lá, atrás daquelas colinas, eu sei
Há o que imaginei...
Toma!
Leva contigo meu coração,
ele será a bússola!
E diante do momento certo e do achado,
ele baterá forte...muito forte!
C.Lira

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Os sacrificados

Desde que o mundo é mundo é comum escutarmos que alguem abandonou um bebê numa lata de lixo, num rio, em uma mata...e em lugares piores...(isto quando não abortam!)
São atitudes no minimo irresponsáveis, mas quem somos para julgar a atitude de alguém que não conhecemos o modo como vive e suas condições financeiras, inclusive.


Quais seriam os motivos para retirar a vida de alguém que não pediu para nascer? Ou de joga-lo por ai, como se soubesse caminhar com suas perninhas delicadas...
É dificil entender este tipo de comportamento.
E dificil ver como algumas mães (ou "mães") têm uma facilidade enorme de abandonarem esses anjos. Seres que aos primeiros instantes de vida já tem que se virarem sozinhos.
Engraçado...como se bebês  conseguissem dizer que parte do corpo dói, que sente fome...ou mesmo gritar socorro, em caso de emergência.
Todos somos livres para fazermos escolhas, mas nossos atos devem ser pensados e repensados para que não matemos vidas só para que possamos viver, ou por não querer carregar o peso de carregar vidas... ( se é que podemos considerar vidas um peso).
Aos que querem abandonar esses seres indefesos, ao menos os deixem em braços que possam envolve-los, não os entregem ao vazio, não os joguem dentro de sacos plásticos para que morram sem ar, não os deixem nas matas para serem devorados por feras, não os deixem rolando sobre o que restou de um parto...ou melhor, não os tragam ao mundo se não querem ama-los...Cristina Lira

Folhas de um diário




23 de Agosto de 1957

Querido diário, me desperta a esperança de viver longos dias, mas toda essa tristeza quer garantir-me do contrário. Hoje fui a casa da minha amiga, a Irla, aquela que disse que você era velho demais, lembra? E tudo lá parecia tão feliz...parecia. E aqui ao contrário, nem se quer parece...pra que servem os sentimentos se eles não são levados em conta? Eles nem sabem brincar de casinha direito, se eles me dessem uma chance, eu iria ensina-los, talvez eles tenham  esquecido...essa gente grande, porque será que eles querem a gente pequena? Eles não se entendem e a gente sofre...Qual será a diferença entre um lugar onde os sentimentos são desprezados e um túmulo, onde os sentimentos não existem? Querido diário, hoje poderia ter sido especial, gostaria que fosse especial, mas não depende de mim, a alegria que quero sentir não depende em nada de mim, e isso é péssimo. Me sinto como uma das bonecas do meu quarto, como a tita ou a lila, eu as pego e deixo onde quero e posso esquece-las em qualquer lugar. Ah! Mas bonecas não tem sentimentos, diário! Já eu, eu os tenho, e tenho todos, e sinto, e sinto muito... 

Pensamento de uma criança de 12 anos que desde os 8 escrevia em um velho caderno de sua avó, o qual chamava de diário...dizem que morreu de tristeza meses depois de escrever esse depoimento, e ela só queria ser feliz, mas de tanto ver os que a cercavam cúmplices da tristeza, ela perdeu aos poucos a esperança de viver e se deixou abater!!!
C.Lira

Ingênuo frio...


A porta aberta...
E este frio entrando como se fosse convidado.
E congela os pratos sobre a mesa.
E congela a muitos em volta, num silêncio orante.
E não passo despercebida deste tal frio que parece sugar a respiração.
E em sua tentativa de me congelar, começo a rir da sua ingenuidade.
Pobre frio!
Esqueceu que eu tenho um coração?
E ele me aquece...

C.Lira

Meu grande mistério...eu!




No decorrer do dia, nos deparamos com diversas situações. Momentos que nos fazem sorrir, outros que nos fazem chorar, num silêncio que é só nosso. 
Mas  precisamos, diante de tudo que nos acontece, adquirir um espírito guerreiro, capaz de vibrar nas alegrias e superar com vitória a guerra dos lamentos que nos aprisionam.
Dentro de nós há uma força que precisa ser alimentada. Tudo que necessitamos está em nós. Temos que descobrir nossas limitações, e ir bem mais além, buscando no interior as armas para conquistar o infinito ( ou o que para nós signifique infinito)...
Só que antes de tomar qualquer atitude, precisamos nos descobrir, fazendo-nos uma simples pergunta: QUEM SOU EU?
__________________________________________________________________
O ponto de partida para compreender o mundo e o nosso próximo está na capacidade que temos de primeiro nos conhecermos, de nos amarmos, de nos querer bem...ai saberemos a dose certa para agir com o outro, e entenderemos que todos tem um espaço próprio que quando invadido causa muito estrago. Não adianta nada tentar entender as coisas ao seu redor se você não se conhece, se não nos conhecemos...
____________________________________________________________

C.Lira - Que todos tenham uma otima semana!!!


Perfume do tempo


Adoro parar no tempo
e sentir o perfume do vento,
que em certos momentos
muda de fragância.

C.lira 
 

domingo, 23 de janeiro de 2011

... os truques não eram revelados



As vezes sinto falta do tempo em que tudo parecia mágica, do tempo em que os truques não eram revelados....Uma saudade do tempo em que tudo parecia brincadeira e certas coisas não  tinham tanta importancia...(C.Lira)



Mudar sem perder a essência



Se é pra ser diferente, pois que seja então. Nem um pouco parecido com o antes, mas novo por completo. Se é pra mudar, que a mudança aconteça então, nem fria ou morna, mas que seja verdadeira, sem que se perca a essência.
Combinações diferentes, sensações nunca experimentadas, todo mundo precisa de uma novidade de vez em quando, ainda que inventada.
Experimentar temperos diferentes, na comida e na vida, motivos novos para sorrir. Um café amargo vez ou outra, e mordiscadas numa pimenta, ao menos para fazer caretas, mas que sejam diferentes.
Qualquer coisa, tudo pra mudar...mas não se mova se quer continuar como está.
E se for fazer uma mudança geral em sua vida, lembre-se de guardar sua essência...
Cristina Lira


Minhas tempestades



Quando tudo vai se acumulando aqui dentro e tumultuando meu pequeno espaço interno, minha alma troveja. Troveja e faz chover, faz nascer tempestade.
Quando tudo se acumula aqui dentro, chove no meu céu, molha-se minha terra. E tudo vai embora numa enxurrada.
Pois quando tudo me lota, eu me esvazio. Quero sempre muito espaço em mim para preencher com o novo.
Quando tudo me vem a cabeça a ponto de sufocar-me, minha alma troveja e me esvazio, não completamente...

Cristina Lira

sábado, 22 de janeiro de 2011

Nas mãos as linhas da vida, no coração as boas ações...



Num determinado dia ele resolveu sair bem cedo, tudo estava calmo, uma linda manhã. As folhas ainda exibiam o orvalho, e os pássaros cantavam como se fosse a primeira vez que fizessem esse ato. Tudo isso o encantava.
Quando subia numa pequena rocha para admirar mais de perto um beija flor, foi alvo de uma flechada nas costas o que o fez perder o equilíbrio e cair, batendo a cabeça contra a rocha, causando-lhe assim mais um ferimento.
Um senhor, que andava como quem fosse parar e de rosto marcado pelas linhas da vida, ao vê-lo, parou e tratou de oferecer cuidados. E enquanto o jovem estava desacordado, o senhor removeu a flecha e tratou o ferimento com ervas do seu conhecimento. Não se sabe como, mas além de tudo isso, deixou o jovem na porta de sua casa, e tanto o ferimento das costas quanto o da cabeça já não sangravam mais.
Quando acordou, o jovem estava completamente desorientado, não pelo fato de terem lhe ferido, mas de como o tinham curado. Incansavelmente contou esta história na esperança de que alguém, ao ouvi-la, pudesse pelo menos lhe indicar  quem conhecesse bem ervas, assim haveria uma pista....mas os dias se passaram e nada.
Um  idoso leiteiro  todas as manhas lhe fornecia o melhor de todos os leites da região. E numa manha, espantado pela demora do leiteiro chegar, já que este era de uma pontualidade invejável, o jovem foi até seu rancho. Sendo informado que o tal senhor se encontrava doente em seu leito, ao visita-lo, sentou-se ao lado de sua cama.
Ao vê-lo, o leiteiro enfermo disse:
_ vejo que estás bem meu jovem, fico feliz...A gente  sempre procura  o porque dos problemas e dificilmente arranjamos um solução para esses danados, não é mesmo?
As flechas podem vir de muitos lados, mas não importa, tem sempre uma armadura nova pra gente. No tempo da seca as vacas dão menos leite, mas na primeira chuvarada elas se animam, e num é que elas de imediato já aumentam a quantidade...
O jovem sorriu, o senhor leiteiro estava doente, mas não parava de falar, e se perdia nas historias...o que acabava sendo engraçado. Ao lado da cama, em um cantinho no chão, pode observar uma vasilha com algumas ervas dentro.
Mais que depressa e sem dizer nada, só ouvindo, o jovem começou a cuidar do idoso, do leiteiro, e quem sabe, das mãos que lhe ofertara cura...
Não importam os problemas, nossas dores ou enfermidades. O que interessa é que cedo ou mais tarde tudo passa, e de certo, há sempre uma solução para tudo, ainda que no momento possamos duvidar. E tudo acontece e vem da forma que menos imaginamos e de onde menos esperamos, e de mãos que pouco conhecemos...

Cristina lira


sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Os "stops" da vida


Durante uma longa caminhada é preciso parar alguns instantes, respirar e renovar as forças para depois seguir.
Tanto numa caminhada quanto em nossas vidas fazemos um percurso, e não é de se estranhar que em muitos momentos precisemos fazer um ritual comum as duas situações, na caminhada e na vida: parar, respirar e continuar...
São os stops...O momento pare!
Pare, analise a situação e só depois de respirar, pensar em tudo cuidadosamente siga. Não é parar definitivamente, é parar momentaneamente.
Se algo não está dando certo, talvez seja o momento de desenvolver um olhar mais atento, contemplar a paisagem do caminho,  e deixar que grandes ideias e soluções venham à tona.
A obediência ao "pare" do sinal de transito evita graves acidentes, como bem sabemos.
E na nossa vida, o ato de parar para pensar pode evitar graves atropelos...portanto, pare, respire e siga.
C.Lira

Ditos sábios

Estive lendo alguns trechos biblicos e alguns me deixaram feliz, outros me trouxeram paz e outros ainda me fizeram refletir.
Compartilho aqui alguns entre os tantos que li. Quanta sabedoria tinham esses grandes pensadores...






P.S.: Espero que gostem de ler...






                              ****************************************************


1. A pessoa paciente permanece calada até chegar a hora certa de falar, e então todos dizem que ela é muito inteligente. Eclesiatico cap.1 vers. 24

2. ...tenha paciência  nas horas de sofrimento. Eclesiatico 2.4

3. Quanto mais importante você ficar, mais humilde você deve ser. Eclesiastico 2.18

4. Tenha cuidado com o que você pensa, pois a sua vida é dirigida pelos seus pensamentos. Provérbios 4.23

5. É mais inteligente planejar antes de agir. Eclesiastes 10.10

6. O anjo  do Senhor fica em volta daqueles que o temem e os protege do perigo. Salmo 34.8

7 . Salmo 23

O Senhor é o meu Pastor, nada me faltará.
Deitar-me faz em verdes pastos,
guia-me mansamente às águas tranquilas;

Refrigera a minha alma,
guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome,

Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte
não temeria mal algum, porque tu estás comigo,
a tua vara e o teu cajado me consolam;

Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos,
unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda;

Certamente que a bondade e a misericórdia
me seguirão todos os dias de minha vida,
e habitarei na casa do Senhor por longos dias. 




O importante é que ainda posso usar a imaginação!
E imagino tantas coisas...

C.Lira

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

O prisioneiro ( um dos primeiros posts)



Estava acorrentado, e as correntes lhe feriam os pés e as mãos, que sangravam por cima de algumas cicatrizes antigas.
Seus cabelos já haviam perdido o brilho e estava empoeirado por conta do ar poluído por partículas de terra que caiam do teto toda vez que ele gemia. Seu sofrimento era compartilhado com alguns animais e insetos que insistiam em fazer companhia enquanto vida ele tinha e esperavam talvez sua morte para devorá-lo.
Água e comida de forma desregrada e nem todos os dias. E no ombro a pele recobria o ferimento provocado por uma arma cortante, este um tanto infeccionado e de odor forte, que por vezes atraia alguns organismos aproveitadores.
Quem o colocara ali? Por quê? Perguntas que nunca terão respostas. Na parede a sua frente um foco de luz muito pequeno lhe avisava quando o sol nascia. O seu cárcere aos poucos se transformava em um tumulo: vazio, frio, sem luz, sufocante...
Assim vivem as pessoas que só enxergam os problemas, as desilusões e as lagrimas da vida, que apenas se lamentam e se negam ao direito de sorrir e não buscam métodos de resolverem, soluções. São prisioneiras de si mesmas e só podem ser libertas pelo nascimento ou renascimento de sentimentos e atitudes simples.
Porque às vezes nos é necessário olhar o que de mais simples temos a nossa volta, e estas coisas simples na maioria das vezes têm tantos atrativos... Mas por estarmos presos, acorrentados e sangrando deixamos passar despercebidos. É o foco de luz que nos é mostrado e não conseguimos dirigir o olhar para a fresta de onde vem esse foco, algo simples, a saída.
Cristina Lira

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Todo mundo precisa de inspiração
Todo mundo precisa de uma canção
Uma bela melodia
Quando a noite é tão longa
Porque não há nenhuma garantia
Que a vida é fácil...
When I look at you
Miley Cyrus

Expecta(dor)a


As dores que jazem aqui dentro são antigas, elas me acompanham desde que nasci. São adagas que estilhaçam meus dias, produzindo um semblante que sorri quando na verdade a alma desmorona.
Dores que não são por amores, isso não produz dor em mim...
Dores que não são por amizades, antes elas causam-me alegria exagerada...
Dores que vem de fora e invandem-me, não de longe, mas de perto, muito perto...
São como correntes fortes que tentam me destruir ao passar dos dias, mas ainda resisto, embora não saiba até quando...
Dor?
Ela apenas me toma como abrigo e como se não fosse o suficiente me faz expectadora...

C.Lira

Meus passos são silenciosos como quem passeia entre a multidão e não é notado ou como quem grita e não é ouvido...

C.Lira