sábado, 9 de abril de 2011

Folhas amareladas



A folha amarelada
Se destaca do galho
Rodopia resistente
Surfa nas ondas do vento
E depois cai no chão


E assim irão cair
Todas as folhas da velha árvore
Ao passo que outras
Surgirão em substituição


Somos folhas verdes
Nos galhos da árvore da vida
E um dia desbotaremos
Rodopiaremos resistentes
E cairemos no chão...


Cristina Lira


4 comentários:

  1. Oi menina Cris...

    Vim deixar um beijo de boa noite...alguns xerosssss e um abraço fortão...

    Tirei um tempinho e li vários textos...adorei todos...

    Este, especialmente, me fez parar para refletir o quanto gostaríamos que nossas vidas fossem perenes, quais folhas verdejantes ainda...mas o fim é inevitável, e iremos ao "chão" como disseste...humpft...

    ResponderExcluir
  2. adorei!
    Esse é o milagre da vida renasce denovo!
    o que seria da vida se não ouvesse morte, que egoismo é esse que nos faz pensar que não poderiamos dar lugar a outro para tambem sorrir e chorar, ou o pior, como teriamos filhos e netos?
    a vida tem que ser vivida ate o limite, e nunca desistirmos dela, mas a morte tambem é uma selebração da vida afinal é o ato final e mais altruísta que temos e não escolhemos, darmos lugar a mais uma vida!
    bjs adorei!

    ResponderExcluir
  3. essa é a nossa cadeia não temos como fugir dela...

    suas escritas me tocam
    vlw por escrever

    super beijo

    ResponderExcluir