terça-feira, 18 de janeiro de 2011

O prisioneiro ( um dos primeiros posts)



Estava acorrentado, e as correntes lhe feriam os pés e as mãos, que sangravam por cima de algumas cicatrizes antigas.
Seus cabelos já haviam perdido o brilho e estava empoeirado por conta do ar poluído por partículas de terra que caiam do teto toda vez que ele gemia. Seu sofrimento era compartilhado com alguns animais e insetos que insistiam em fazer companhia enquanto vida ele tinha e esperavam talvez sua morte para devorá-lo.
Água e comida de forma desregrada e nem todos os dias. E no ombro a pele recobria o ferimento provocado por uma arma cortante, este um tanto infeccionado e de odor forte, que por vezes atraia alguns organismos aproveitadores.
Quem o colocara ali? Por quê? Perguntas que nunca terão respostas. Na parede a sua frente um foco de luz muito pequeno lhe avisava quando o sol nascia. O seu cárcere aos poucos se transformava em um tumulo: vazio, frio, sem luz, sufocante...
Assim vivem as pessoas que só enxergam os problemas, as desilusões e as lagrimas da vida, que apenas se lamentam e se negam ao direito de sorrir e não buscam métodos de resolverem, soluções. São prisioneiras de si mesmas e só podem ser libertas pelo nascimento ou renascimento de sentimentos e atitudes simples.
Porque às vezes nos é necessário olhar o que de mais simples temos a nossa volta, e estas coisas simples na maioria das vezes têm tantos atrativos... Mas por estarmos presos, acorrentados e sangrando deixamos passar despercebidos. É o foco de luz que nos é mostrado e não conseguimos dirigir o olhar para a fresta de onde vem esse foco, algo simples, a saída.
Cristina Lira

17 comentários:

  1. Texto maravilhoso, hein!
    As vezes, com a rapidez que as coisas ocorrem, não conseguimos nem aproveitar as coisas que realmente importam...
    Beijo.

    ResponderExcluir
  2. Oi Cris...
    Adorei a mudança no lay-out...
    E que bom que reviveu um dos primeiros post...
    Realmente somos prisioneiros de nós mesmos quando não buscamos a luz de saída para os problemas e as aflições...sofremos desnecessariamente...

    Mas...a vida é assim, e segue...e seguimos por ela né ?
    Bjos menina...sempre bom vir aqui...

    ResponderExcluir
  3. Oi Cristina que lindo texto! Eu adoro ler belos textos e adorei ler o seu.
    Linda noite para você flor beijos no coração.

    ResponderExcluir
  4. Olá TAMIRES...
    Não aproveitamos e os dias...vão passando...
    Obrigada pela visita...
    Bjos

    ResponderExcluir
  5. Olá NANDO... que bom que gostou do novo visual,rs.
    E se não encontramos a saida destes problemas nos tornamos nosso proprio algoz...
    Bjos Nando, valeu pela visita meu amigo, se cuida!

    ResponderExcluir
  6. Ola VERONICA, grata pela visita e mais grata ainda pelo comentário...
    Bjos, sua presença alegra este espaço!!!

    ResponderExcluir
  7. PARA ALEM DA DIMENSÃO DE TI, Obrigada pela sua presença....
    Tenha um otimo dia, beijos no coração.

    ResponderExcluir
  8. Querida amiga

    É verdade.
    Acredito que as piores correntes,
    aquelas que nós mesmos colocamos
    em nossos sonhos.

    Que sempre haja tempo para os sonhos
    em tua vida.

    ResponderExcluir
  9. É nas pequenas coisas que as grandes se apoiam.
    Um pequeno grão de areia pode bloquear toda a engrenagem.
    A maior cegueira é a incapacidade de ver para além de si mesmo, negando a potencialidade de crescer e ser maior.

    ResponderExcluir
  10. Muito obrigado pelo elogio, fico muito feliz.
    parabéns pelo grande talento em escrever.
    abração e aguardo por novos posts anciosamente. :D

    ResponderExcluir
  11. Ei Cris! Gostei. Do texto e do visual da casa. Fiquei aqui pensando: muito se fala sobre igualdade, mas o que importa mesmo é a liberdade. Bjs mil!

    ResponderExcluir
  12. Oi Cristina...
    Estive fora alguns dias, mas já de volta e me deliciando com tantas poesias.Nem sempre é fácil, simples e clara a direção da saída. Mas acho que a vida estÁ aí para gente ser feliz e buscar a paz que tanto sonhamos e precisamos. Hoje publiquei uma poesia "perdida" que fala extamente isto.
    Lindo texto poético e forte nos faz pensar...
    Beijos Néia

    ResponderExcluir
  13. Brigadu Lira! Obrigado pelo elogio e desculpa pela falta de atualização. Eu tô de férias mais isso não significa que o blog também pode né?

    Parabéns pelo post, você me dua uma idéia! Seria muito legal reescrever as postagens mais antigas.

    ResponderExcluir
  14. Ser feliz é tão simples! Lindo blogger. Vou te seguir no twitter também. beijos

    ResponderExcluir
  15. Texto que me tocou lá no fundo. O que dizes é bem verdade. São as pessoas que conseguem lutar até ao fim, que são fortes. E a força não se mede pelos musculos, mas pela resistência.
    Continua :)

    ResponderExcluir
  16. ALUISIO CAVALCANTE
    JORDAS
    ANDREBDOIS
    RENATA
    NÉIA
    ISAAC
    TISSIA
    ANA RITA


    Li com carinho e atenção cada um dos comentários, agradeço a presença de todos vcs, fiquem a vontade e voltem sempre...
    Bjos no coração de todos, e tudo de bom...

    ResponderExcluir