segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

AMOR...

Amor...

Diante desta palavra

nenhuma outra é necessária.

Diante deste sentimento,

nenhuma guerra é declarada.

Diante deste ato

toda dor se ameniza

e toda ferida cicatriza...

C.Lira

CUIDADO




VENDE-SE FELICIDADE!

Estão vendendo felicidade a preço de banana!
Não caia nessa jogada...
Não acredite piamente em quem vem prometendo felicidades.

Felicidade não se compra e muito menos se põe a venda.
E aqueles que falam em conquistar a felicidade como se estivessem falando em fazer economia para comprar o carro do ano, estes não entendem nada do que é ser feliz, mas com certeza são bons economistas!


C. Lira

Razão perante o coração


Oh, razão!
Porque escarneces o coração?
Se nada podes diante da emoção?
E quando te metes
só apascentas desilusão.
Aquieta-te dentro de mim,
tu, que só poe em dúvidas os sentimentos.
O que será a razão,
perante a vontade do coração?
Razão que não sabe agir sozinha.
e que quer ser dona de tudo.
Se és tão boa em fazer avaliações
porque não me mostras o futuro?
Em cólera está meu coração
e ainda que me desfaleça a alma,
me poupem a voz da razão!

C.Lira

Homem secreto




Quem é ele?
Olha sempre para tudo parecendo não olhar nada.
Toma para si o impossivel e o dobra numa pequena possibilidade.
Talvez ele nem exista, estou enfeitando a realidade.
Quem é ele?
Ar de mistério um tanto mosaico.
O sol da tarde ardia na pele.
Quando me distrai e tentei vê-lo novamente já havia sumido.
Afinal, quem é ele?

c.lira

Ao meu lado

Que me importa o frio lá fora, se você está comigo agora.
Não me entristeço se não ouço canções, pois em tua voz encontro a melodia feita.
Que enxerguem meus defeitos, nada conta se pra você sou perfeita.
Se me alimento do amor e me cubro com teu corpo,
o que mais posso querer?
Ou o que tanto pode me importar?
Se tudo que preciso está junto a mim!
Posso ter mil pesadelos descansada, 
é certo que estarás de prontidão a despertar-me deste mundo surreal.
Que me importa a humilhação, se você me exalta.
E se me fazem chorar de tristeza você me ama, me acalma.
Que me importa o fim do mundo
se ao meu lado jaz minha alma amada...

C. Lira

Prodigioso encantamento



Jaz em mim toda melancolia.
Dentro, em mim,
eis um jazigo.
Sepulto dentro de mim
meu "eu" que antes tremia.
E lá ao longe o fundente
a alguns passos da fundura.
Meu olhar funéreo te alcança
Porque me vês tão funesta!
E tomas um livro pressagioso
lá escondes os olhos pela metade
ressumando desejo em mim.
Eis um sepultar ressurreto.
Penso que aos poucos desfaleço,
e ressuscito se te vejo.
Quebrantando-me toda vez
que me diriges o olhar ofuscando-me
E em meio as penumbras, te tenho,
prodigioso encantamento, como meu maior motete.
C.Lira