sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Nostalgia


Amanhã será um novo dia. E essa nostalgia vai sumir, pois sinto que é momentânea. E toda essa imprudente dor ainda hoje será sepultada, pois não permitirei que no dia de amanhã, uma nova chance que nasce pra mim, seja raptado e devorado por esses fantasmas que teimam em me explorar. Já me afoguei demais nesse rio que arrebenta as barragens da minha face. As cruzes que estou carregando agora já estão perdendo as forças, as palavras que ouvi mais pareciam barulho de armas de guerra, e o silêncio por vezes rompido por uma cavalaria. Que importa? Tudo está passando, amanhã será um novo dia, e poderei, embora as cicatrizes sarando, sorrir do dia que se debulha a minha frente e me faz cortesia. A dor? Que me importa! Amanhã não serei tua serva!
c.lira

Leaves of Grass (Folhas de relva)

Este é o meu livro de cabeceira - Leaves of Grass- escrito por Walt Whitman...
Na página 71 tem um trecho que não me canso de ler, resolvi postá-lo aqui. Desde já deixo minha recomendação de leitura. É um excelente livro.
Eis o trecho

"...E sei que sou imortal,
sei que minha órbita não pode ser medida pelo compasso do carpinteiro,
Sei que não apagarei como espirais de luz que crianças fazem à noite com graveto aceso.

Sei que sou sublime,
Não torturo meu espírito para que se justifique ou seja compreendido,
Vejo que as leis elementares nunca se desculpam,
Percebo que não ajo com orgulho mas elevado que o nível onde planto minha casa, afinal.

Existo como sou, isso me basta,
se ninguém mais no mundo está ciente, fico contente,
e se cada um e todos estão cientes, fico contente.

Meu pedestal é encaixado e entalhado em granito.
Dou risada do que você chama de decomposição,
sei da amplidão do tempo.

Sou poeta do corpo,
e sou o poeta da alma..."

"Mas tenho medo do que é novo

e tenho medo de viver

o que não entendo.
Quero sempre ter a garantia

de pelo menos estar pensando

que entendo,

não sei me entregar à desorientação."

~ Clarice Lispector ~





"Não voltaria no tempo para consertar meus erros,

não voltaria para a inocência que eu tinha - e tenho ainda.

Terei saudades da ingenuidade que nunca perdi?
Não tenho saudades nem de um minuto atrás.
Tudo o que eu fui prossegue em mim."

(Martha Medeiros)
Tudo que quero é um cantinho pra ficar a sós comigo e me fazer um pouco de companhia.
As vezes preciso tanto de mim...

c.lira