domingo, 21 de novembro de 2010





Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro.

Momentos que simplismente acontecem



As vezes seguramos as lágrimas diante dos outros e choramos apenas ao ligar o chuveiro, deixando a água escorrer lavando nosso corpo com as lágrimas que saltam lá de dentro, e com o barulho do chuveiro ninguém pode escutar nosso choro abafado, podemos ficar a vontade. As vezes no silênco da noite e antes de dormir, depois de muito pensar, quem já não soluçou de chorar? Não que seja fraqueza, mas para ganharmos forças e nos reequilibrarmos precisamos esvaziar o nosso ser das tantas águas de tristezas. A dor em alguns momentos parece tão grande e insuportável que o único consolo que temos é um momento a sós conosco, e depois de tanto desabafar podemos lavar o rosto e tentar continuar na certeza que parte da dor foi embora com as lágrimas que quase nos afogaram... e tudo porque momentos como esses simplismente acontecem...
(C.Lira)


"Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes… tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.
Você pode até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer:
- E daí? Eu adoro voar!
Não me dêem fórmulas certas, por que eu não espero acertar sempre. Não me mostrem o que esperam de mim, por que vou seguir meu coração. Não me façam ser quem não sou. Não me convidem a ser igual, por que sinceramente sou diferente. Não sei amar pela metade. Não sei viver de mentira. Não sei voar de pés no chão.
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra sempre."

Clarice Lispector

Conjectura sentimental



Te amo
Não precisas saber porque, nem muito menos como isso foi acontecer. Há sentimentos que são indefiníveis, inexplicáveis e apenas existem, sem a necessidade de entendê-los.
Te amo na riqueza dessa sua simplicidade, na exuberância dessas suas palavras...
Te amo de longe e em quietude, de perto e impaciente... as vezes contente, e na maiora delas descontente pelo desencontro dos passos e o descontrole do tempo. E se tudo não for nada, já me basta esse sentimento.
(C.Lira)