segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Note-se

Não esconda tanto esses dentes, eles ficam bem bonitos quando a amostra em um sorriso.
Não olhe tanto para baixo, já que as estrelas do céu estão rezando para que você note o brilho especial que elas prepararam para fazer sua noite ser de arromba.
Não derrame tantas lágrimas, você irá passar por momentos em que realmente elas serão necessárias.
O visual não é tão importante, mas se estiver pensando em dá uma geral na aparência faça isso por você e não para agradar alguém.
Não disfarçe o olhar só porque aquela pessoa te surpreendeu a olhando, encare, deixe de fugir dos sentimentos que estão criando teias de aranha pela falta de uso.
Não use palavras grossas quando falar com alguém, e mesmo que você tenha que ouvi-las, mostre que seu ser não precisa ser rebaixado ao nível primitivo de outros.
Se tiver vontade de gritar, grite...
E de chorar..chore...embora não adiante muito a não ser para nos dar um ar de depressivos.
Não se esconda de você mesmo, olhe-se no espelho e diga: prazer, você está incrível hoje!
Saiba amar-se e terás percorrido metade do caminho...
Cristina Lira

Mortis


O que acontece comigo? Que sintomas são esses? Tudo está tão estranho?
Porque meu coração já não bate mais? E o que houve com a cor da minha pele?
Por que você não me toca mais? E porque me olha de uma forma tão consternada?
Sabe, me lembro de como meus músculos respondiam a correria do dia a dia, e agora estão tão relaxados... e essa minha temperatura com essas oscilações, é tão disconcertante, vai entender!
Estranho essa cor pálida das minhas unhas e da minha pele, não as havia notado assim, acho que preciso de um pouco de sol...porque meu coração não dispara mais quando ele passa? E por que eles me olham assim?
Me assustam...esquisito!
Oh! Minhas mãos?! Que azul é esse? E os meus olhos parecem querer se enterrar dentro da minha cabeça.
Não há mais luz?
Aqui ficou escuro de vez, e parece que estou sumindo aos poucos...
Ei! Não me deixem aqui..estou tão só!  E acho que estou desmanchando, eu não tinha essa cara!
Será que ninguém vem me buscar? Por quanto tempo ficarei aqui?
...E agora, não consigo me ver, mas sei que existo... é como se eu fosse apenas palavras, sem matéria, mas com sentimentos...
Cristina Lira

Por dentro




Dentro de mim existe uma criança que só quer sorrir
correr pelos campos com a alma liberta
sem problemas e sem o minimo de pressa
Tenho em mim desejos de liberdade
de acordar cedinho para ver os bichos no pasto
e tomar banho de chuva no mato gasto
Quero ter tempo para acompanhar a metamorfose
das borboletas que tanto me encantam
Correr atrás dos monstros que me espantam
Quero que a criança que existe em mim
não se transforme também em adulto
gente sempre ocupada achando que sabe tudo
Me basta apenas saber o essencial
não me interessa ter todas as respostas
não quero uma independencia imposta
Vou me levantar pra ver o arco-iris roubando a chuva
as trovoadas sacudindo o céu no inverno
lembrar só do céu e esquecer do inferno
A criança que há em mim é pequena mas madura
almejando a realidade dos sonhos de amor
do mais profundo desejo ao mais eterno sabor.
C. Lira

Te quero

Te quero sempre por perto, pois necessito do ar que tu respiras para que eu possa viver também. Te quero sempre por perto para te tocar e saber que tua existência é mais real que a minha.
Teu toque na minha pele faz elevar-se em mim todos os sentimentos de forma incontrólavel, por você e com você não tenho medo de perder o controle...
Quando as luzes se vão não temo nada já que estas comigo. E quando a noite se vai fico no frio pela ausência do teu corpo ao lado do meu. Diante de ti lapsos de memória me atingem e já nem sei quem sou nem onde estou. E me alimento dos desejos que me sondam toda vez que você me toca.
Me extasias quando estás comigo me conduzindo a este desejo proibido. Cristina Lira

Desejo



Me queimo de desejo quando olho pra ti.
Meu coração dispara como se não quisesse mais voltar ao ritmo.
E me tentas com um abraço, mas me contenho.
Este amor que sinto, ora meu remédio, ora meu veneno.

Tua voz disatina meu pensamento
E quando estas por perto não quero que se vá
e quando se vais te construo mentalmente
e todo este desejo vai me consumindo lentamente.

Amor que carrego em minha alma, no mais âmago do meu ser
Note que meu olhar não é tão inocente
Perceba que o aperto que vai junto com meu abraço
é na verdade uma demonstração de amor que te faço. Cristina Lira

Desejo que você

Desejo que você
Não tenha medo da vida, tenha medo de não vivê-la.
Não há céu sem tempestades, nem caminhos sem acidentes.
Só é digno do pódio quem usa as derrotas para alcançá-lo.
Só é digno da sabedoria quem usa as lágrimas para irrigá-la.
Os frágeis usam a força; os fortes, a inteligência.
Seja um sonhador, mas una seus sonhos com disciplina,
Pois sonhos sem disciplina produzem pessoas frustradas.
Seja um debatedor de idéias. Lute pelo que você ama.
"Augusto Cury"

Paciência!



Tem hora que não dá pra aguentar mesmo!
Tanta gente querendo saber dos nossos passos, antes fosse para nos ajudar... mas na verdade é para ter o controle sobre nós e nossas ações, e, talvez, na primeira oportunidade "puxar o tapete"
Vai fazer o que? De onde vem? Não faça isso! Faça aquilo! Olha lá fulano...!? Quem diria em ?!
...Paciência!
As vezes deixamos de dar passos grandiosos por medo da opinião daqueles que estão por perto. E a vida as vezes parece uma novela...uma grande novela na verdade, e é como se fossemos um artista, as vezes a moçinha...as vezes a vilã, depende do público...o problema é que não escolhemos nossos personagens, eles "taxam" um personagem...
Os "OUTROS"....sejam bem vindos se for prá ajudar e colaborar, caso contrário não deixarei de viver um instante se quer por conta do que irão falar ou medo do que irão me "taxar"...
Não se pode deixar de ser feliz por conta desse grande monstro que é "Os Outros"...pessoas amarguradas e que de tanto ficarem bancando espiões da força secreta deixaram de viver prazerosamente e ficam por ai tocando terror.
O ideal é vivermos...sem medo de viver!
C. lira

A última carta


Escrevo hoje a última carta antes da minha partida, as últimas palavras que ainda restam em meu precário vocabulário...registro estes últimos instantes com incessante escuridão em volta de uma fraca claridade que a cada instante se rende e se ajoelha ao que parece implacável.
Antes que minha luz se apague saiba que odiei com muita força todos que me jogaram de prédios altos e arrancaram minhas asas na hora do voo tirando assim meu direito de viver além do planar.
Que embora o ódio tenha se feito presente em alguns momentos não foi comparável ao amor que se apegou ao meu peito e escravizou meu coração, com uma escravidão obrigatória, porém, voluntária.
Amo todos que conheço e os que desconheço, assim como me toma a raiva de muitos que conheço e de tantos outros que deconheço, e que apenas conheço pelas suas ações ou pecados mortais.
Tive paixões que foram conhecidas, mas as melhores foram aquelas que ninguém nunca ficará sabendo, e isto me dá uma alegria louca e debochante sobre os curiosos.
E tenho hoje neste último dia uma paixão que me incendeia a alma e esculpe os polos dos meus pensamentos, este amor que é só meu, e de apenas meu conhecimento é grande e displicente, doce e as vezes amargo, limitado ao mundo e infinito em mim. Inexistente aos olhos de todos, e isto muito me alegra.
Apenas conto os segundos que me afastam agora da tão temível procissão, e nesta não estarei na fila, mas carregada por fileiras de pessoas em silêncio. E tudo que queria falar já foi dito nas tantas outras horas que ficam pra trás, e apenas aguardo a chegada do meu amor, que já vem a caminho para me ver antes que meus olhos se cerrem.
Cristina Lira

Guerras


A guerra começa, não com grupos finitos de batalhões
mas com infinitos sentimentos e poucas ações.
Erguem-se as armas afiadas,
não as mortais no sentido matéria,
mas as cortantes no sentido alma.
Ilumina-se uma grande explosão
não de uma bomba nuclear
mas de uma agitada multidão
seus filhos todos sendo mortos, não pelo poder da morte
mas pelo trabalho fora de hora, um caso de escravidão.
Guerras que implodem no mundo
e explodem nos interiores
daqueles que ainda sonham
com futuros melhores.

Cristina Lira