segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Você



Você que rouba meu sono e me deixa perversamente ver a noite passar,
Enquanto passam cenas em minha memória.
Você que ao se aproximar toma meu ar e me faz desejar estar cada dia mais perto, faz-me sentir cada dia tua presença mais em mim.
Teu olhar me sonda a alma, que queres neste meu abismo?
Ao toque de tuas mãos cedo completamente aos riscos.
O teu perfume que me cerca todo instante instiga-me a voltar os pensamentos só a ti.
Minha liberdade é uma prisão nos dias de tua ausência. E meu cárcere se ilumina quando presentes estás.
Você que me fixa o olhar e fala tanto sem nada dizer.
Você que me faz viajar sem movimentar-me. Que me faz fechar os olhos mesmo sem sono. E sorrir enquanto durmo. E me tomas além do querer embriagando-me em um cálice de prazer.
Cristina Lira

Para sarar as feridas

Mundo que sofre e se encontra ferido demais. Em tuas cicatrizes quase saradas nascem outras impregnadas. Quanto sofrimento e quão doentio estas. Quantas feridas ainda terás que carregar? Quantas espadas ainda haverão de transpassar-te? Quanto sangue ainda jorrará de ti.
Teu remédio é fácil de se encontrar, difícil de se aplicar pela imensidão de tuas feridas e pela falta de disponibilidade de bons médicos.
Até quando deixaremos que tantas feridas se abram? Ate quando estaremos tão doentes, ou tão cegos?
E afundamos no nosso próprio túmulo, e cavamos nossa própria ruína.
Acordemos todos nós que temos o antídoto para quebrar essa calamidade.
Que nossos olhos sirvam para ver as injustiças, mas também para fazer justiça.
Que nossas mãos não portem armas, mas que sejam a porta para levantar as crianças em direção dos nossos braços.
Que nossas bocas não profiram acusações e sim palavras de conforto diante das agonias. E beijos doces as pessoas que amamos.
Que nossos desejos não sejam de vingança, antes sejam de amor e caridade.
Que o sofrimento não nos modifique e sim purifique.
C. Lira

A melodia dos sepultados



Tocarei uma melodia que não se ouve, entoarei um cântico mudo aos olhos do mundo. O cosmo por inteiro ouvirá esse som. Som que se debulhará por entre faíscas em movimento, que irá atrair aqueles que conseguirem ouvir.
Oh! Vozes que são caladas antes de falarem, choros que não se ouvem porque não os deixam viver.
Oh! vozes que transcendem os espíritos, inocentes, excluídos e que não são ouvidos.
Cantem para acalmar os indignados, revoltados e aflitos.
Cantares em vão, para uma grande multidão. Melodia que caminha entre as vozes de milhões de vitimas de si mesmos, e vitimas de outras vitimas.
Canto fúnebre que se dissipa na morte do que seria vida.
Meu canto é pra ti doce criatura, que jaz debaixo dessa sepultura, meu pranto é melodicamente teu acalento por teres sido banido deste ventre. C.Lira

Apenas olhe para o lado


E agora que te encontrei não vou te deixar partir, você que já se tornou uma parte de mim. Não importa onde é o teu refúgio, farei dele o meu templo, não importa onde você vive importa que tenha vida e se deixe viver. Te buscarei onde for, agora que te encontrei não te deixarei partir assim, sem que me leves contigo. Não que vá te implorar para estar com você, mas simplesmente estarei, ainda que não me possas ver. Não há necessidade de estar junto se posso fechar os olhos e te ver. Estarei sempre ao seu lado, como uma presença viva, ou como tua sombra protetora. Serei o silencio dos teus conflitos e o conflito que te silenciará nas tuas noites. Talvez o melhor sonho, mas nunca me tornarei um pesadelo. Neste caminho a estrada mostra os passos de dois viajantes. Te carregarei comigo, se não for ao meu lado será no meu interior. Mas nunca em mim cessará este tão súbito amor. Quando se sentir sozinho apenas olhe para os lados, prometo que ainda estarei por perto, assim como agora.
C.Lira

Apenas amo

Apenas te amo, não me pergunte porque e como isso foi acontecer,
Eu não saberia explicar algo inexplicável.
E me perco toda vez que te encontro.
Me surpreendo fugindo desse mundo na nave dos meus pensamentos.
Quando deito para dormir permaneço acordada,
Quando acordada fico a sonhar parada no tempo.
Só sei que quando te vejo apenas o vejo,
Nada mais ao redor parece existir.
Perco todas as vontades, menos a vontade que me consome de estar com você.
Nossos sorrisos e palavras nos comprometem,
Até mesmo sem querer.
E quanto mais nos afastamos, mais voltamos a nos ver.
É um imã gigante que nos impulsiona
E aflora-nos o desejo de ir a mais que um beijo.
Não que seja como as estações,
Mas que seja pleno em nós e em nossos corações.
Cristina Lira

Sempre esteve aqui


Era tarde da noite, estava quase desistindo de estar naquela festa. E ao tentar dar meia volta, você apareceu e me chamou pra dançar. E nada estava me agradando ali, nem percebi direito com quem dançava. Apenas dancei. A música terminou, sai devagar, cabeça baixa.
Sentei-me um pouco distante de tudo aquilo. Olhei o céu que mal podia ser visto. E uma voz perguntou se podia sentar ao meu lado. E mais uma vez, nem pude ver direito quem estava ali, ao meu lado, parecia ser a mesma pessoa que dancei.
Após uma conversa de poucas palavras. Sai, cabeça baixa, olhando meus pés, nada mais. Uma semana depois adoeci gravemente. E ao abrir meus olhos vi o teto e as paredes sem graça de um hospital, mas alguém olhou pra mim, sorriu e perguntou se estava tudo bem.
Era ele da dança, ele da conversa, ele o meu socorro. E não percebi que estava todo tempo por perto, bem ao meu lado, como um anjo a me proteger, das coisas que eu não via enquanto olhava meus pés enquanto caminhava.
E segurando minha mão disse: Não se preocupe tudo ficará bem agora.
Ao olharmos tanto para o infinito a nossa frente, esquecemos que existem momentos  e pessoas que estão perto e são eternos.
Cristina Lira

Incertezas

E me perco no teu olhar como se não houvesse mais nada que eu pudesse enxergar. Até parece que meus olhos só conseguem registrar sua presença, seja quando o vejo, ou até mesmo quando durmo. O bom de tudo isso é que não consigo me sentir sozinha, apesar de estar. Quando você aparece é como se a chuva caísse tão lentamente e percorresse de uma forma ilimitada todas as formas de vidas que existem. Quando recebo um toque seu, mesmo que seja sem querer, é como se o céu se rasgasse ao meio e num grito soltasse seus anjos em todas as direções, é, verdadeiramente, uma sensação surreal, o que sinto com apenas um toque. Eu bem sei, o quanto tudo isso me faz bem. As direções não existem e todo lugar que eu queira seguir se torna certo, logo já não existe um lado errado na estrada e nenhum caminho que conduzirá a um abismo. E se tudo for produto de uma aguçada imaginação, nada irá me fazer sentir mal, nem a idéia de tudo que imaginei jamais possa acontecer. Valeu todos os sorrisos e sonhos que me fizeram estar em estado de felicidade só por te portar dentro do meu ser.
Cristina Lira