domingo, 17 de outubro de 2010

Ninguém irá me fazer parar


Estou abrindo todas as portas a minha frente, vou passando como um vendaval, como uma tempestade. E agora que abri todas essas portas não voltarei para fechar nenhuma delas, quem vier atrás que as feche. Isto é o que farei a partir de hoje, abrirei, quebrarei, destruirei todas portas, todos  os obstáculos, qualquer muralha que encontrar pela frente. Decidi, nada vai me deter.
Vou de encontro ao que quero agora, não tente segurar minha mão, alias, não encoste, deixe-me seguir a essa velocidade, assim, nesse ritmo, porque não quero parar, tão veloz, deixe-me passar. Nenhuma barreira se levantará mais a minha frente. Tenho todas as chaves, e mesmo que não as tivesse seria forte, sim, como uma tempestde ou pior que isso, mas não ficarei mais neste escuro.
Estou passando e minha caminhada é em linha reta, removerei todos os blocos de concreto à minha frente. Nem sempre se pode viver de cabeça baixa, aceitando tudo o que se é imposto. E se quiser me seguir, tome certa distancia, fique sempre um pouco atras, mas em momento algum caminhe à minha frente, pois estou removendo tudo que possa me fazer parar. Sim, estou indo rumo as cidades iluminadas, aos campos floridos, posso até esta indo de encontro a um abismo, mas não ficarei parada...nimguem me manterá aqui. E agora que me ergui do chão, que renasci em mim mesma, nada vai me parar, porque quero caminhar, sem ter quem indique o caminho, não olharei as setas e as placas das estradas. Minha felicidade está esperando por minha atitude, e estou perto de chegar onde quero, agora que me ergui, não há ninguem que possa me parar, não sei ao certo onde vou chegar, mas não ficarei imaginando como seria se eu tivesse tentado, agora simplesmente eu me movo até onde quero. Não se pode viver segurando as chaves, elas tem serventia, não se pode viver acumulando sonhos quando se tem vida.
Cristina Lira

A busca

E caminhando por cima de todos esses incômodos, sigo. Como se soubesse que o prêmio para essa estrada de espinhos estivesse logo ali. Mas ao passo que me aproximo, mas distante vejo de mim o fim dessa jornada que parece se alongar a cada passada. Não é justo que os caminhos e a terra que cultivei possa estar assim, e agora, sem chão, caminho vagando nas estradas, a espera que a jornada termine logo.
E ao passo que me aproximo tudo parece cada vez mais distante, e ergo minha mão, à minha frente apenas o vazio. Minhas vestes surradas pelo tempo de viajante carrega cada grão de poeira, os vestigios de tudo que vivi. Em mim o cansaço expresso nas curvas que o tempo desenhou no meu rosto e em meu peito guardada a esperança de chegar no fim dessa jornada onde sei que vou encontrar o descanso, mas se toda vez que me aproximo se afasta, me faz caminhar ainda mais, embora o cansaço já seja avançado, vou dar um passo a mais nessa direção. Porque sei perfeitamente tudo que me espera bem a frente...logo ali...apenas mai um passo. Sei que estou sempre perto, e talvez nunca chegue, mas não diminuirei o ritmo nesta busca. Bem sei o que encontrarei, e quando estender minhas mãos novamente encontrarei as que segurarão as minhas, e se o tempo me vencer, pelo menos ficarão meus rastros e a poeira, meu vestigio, e saberão (saberá) que sempre estive por perto. Cristina Lira

Antídoto

Ser feliz é um compromisso que temos com nós mesmo. Não podemos permitir que nos extasiem com pessimismos e falsos pensamentos. Não dá pra permitir que nos apliquem uma injeção de mal ânimo, que tem por reação uma grande depresão e visão pequena de mundo.
Tomemos a felicidade e vamos sair por ai sorrindo sem parar...afinal que motivo poderia barrar a felicidade?...ser feliz não é sentir-se livre a custa da prisão de sonhos de outros, mas, sentirmos soltos o suficiente para espalhar este estado por onde andamos...
Amores, dança, risos e lágrimas que chegam a rolar por tanta alegria que infla nosso peito. Não ter lugar certo para estar, porque, de repente, todo lugar torna-se bom pra se ficar.
Cristina Lira

Confissões desmedidas

A você que amo meu sorriso e o meu abraço. De uma forma tão desmedida os ofereço.
Nada do que te faço, o faço por puro querer, mas por tanto amar.
Não feche os olhos ao me ver passar...pode ir para bem longe, mas no instante que volveres teu olhar, estarei em um recanto, como a  mais profissional das espiãs. E isto é tudo que tenho sido por todo este tempo. Por onde quer que andes, seguirei teus passos, e se não me vir no fim da estrada é porque já estarei bem adiante, te esperando.
Cristina Lira

Se você não consegue, deixe-me tentar!


Se você não consegue correr atrás de seus sonhos não me impeça de alcançar os meus. Se você não consegue viver por estar sempre de olho na vida alheia, desencoste-se de mim e deixe-me se feliz. Não cobice meus gestos e meus atos. Que tal você também tentar, você pode conseguir, se parar de se preocupar tanto com o modo de vida das pessoas. Todos somos livres para fazermos o que quisermos, não necessitamos de especuladores. Afaste-se de mim junto com esse ar de incapacidade que insistes em transmitir e carregue para longe esse poço de pessimismo que despejas nos sonhos de outrem. Ninguém vive quando espia outras vidas, acaba assim esquecendo de viver sua própria vida. (Cristina Lira)

Dor que santifica


Que compaixão sinto das pobres pessoas que tratam um enfermo com discriminação e repugnância. Que pequeno é o coração daqueles que não sabem tratar das feridas dos outros e acalentar o choro de dor de alguém que sofre.
O sofrimento de uma enfermidade faz jorrar lágrimas que horas parecem ser de sangue, faz-nos chorar involuntariamente e torna-nos sensíveis ao extremo. Mas nem a dor de uma enfermidade é tão grande quanto o olhar exclusivo de almas pequenas e insensatas. Que produzem palavras que cortam mais que gumes de uma faca e ferem mais que qualquer tipo de arma mortal que possa existir.
Mas parte de toda dor pode ser suavizada pela compreensão e dedicação daqueles que com carinho limpam nossas feridas, cuidam das cicatrizes. E por tanta bondade também se chora. Chora-se, e essas lágrimas não ardem, mas saram por onde passam, e nos dão a certeza de que somos especiais. E não é um mal estado na vida ou um olhar incompreensível, e por vezes insensível, que vai nos tomar o direito de sorrir, embora possa nos abater, mas não nos ferir ou destruir.
Nenhum sofrimento é eterno, embora que no momento em que acontece possa assim parecê-lo. 
(Cristina Lira)