sábado, 30 de outubro de 2010

Leia com atenção

Âmago do desejo



Quando te encontrei nos abraçamos de uma forma que meu âmago estremeceu por tal proximidade. Nossos lábios pareciam revestidos de veludo e mel e tocavam nossas almas. E tudo mais era remanescente. E percorríamos nossos detalhes como um cego quado lhe colocam em um lugar que ele nunca esteve. Tua face me contava dos tantos dias de verão e dos poucos de inverno, e nos teus atos a volúpia te consumia, talvez nem tanto quanto a mim. E tudo ao redor tão frívolo, enquanto em nós vontades  e desejos transbordavam como uma taça de fino vinho que é preenchida além das bordas e o vinho escorre como fios de ouro. E tudo acontecia enquanto nossos olhos queimavam de desejo e nossos lábios despertavam-nos os instintos que andavam adormecidos. Cristina Lira

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Se você ama

Se você ama alguém não fique grudado a esta pessoa tomando seu ar, deixe-a se distânciar alguns passos, mas não a deixe sumir.
Não fique falando todo tempo, você acabará dizendo tantas bobagens e as palavras bonitas já ditas podem ser ofuscadas por outras invasivas.
Silencie as vezes. Um pouco de silêncio entre duas pessoas que se gostam também é uma maneira de comunicação.
Não tenha medo de dizer o quanto ama, você não sabe quanto tempo ainda terá esta pessoa por perto, ou por quanto tempo você estará por perto.
É bom dá o braço a torcer de vez em quando. Só não se pode virar escravo, porque amor não escraviza, se este liberta.
Se você realmente ama alguém, não permite que o medo de falar cale sua voz. Expresse-se!
Não reprima seus sentimentos e não os use como arma que faz vitimas.
Amar não é possuir nem tão pouco submissão.
Se você realmente ama alguem, fale.
Cristina Lira

Enfermos


Já vi pessoas que se comportam de um jeito todo esquisito quando algum doente se aproxima, seja uma simples alergia ou algo mais delicado...
Olham de lado, saem de fininho...isto quando não olham diretamente e exclamam: "Oh! Meu Deus"...
É como se estivessem vendo uma aberração da natureza.
Paciência!!!!!
Doentes de verdade mesmo, são todos que não conseguem limpar as feridas e massagear lugares doloridos de um enfermo...
Doentes são todos que tratam enfermos com DISCRIMINAÇÃO...e esta palavra AINDA existe!
Enfermos não precisam que os olhem com um ar de coitadinhos, porque não o são...
São humanos de força, e por um simples detalhe: tudo que eles querem é estar bem para viver e poder cuidarem de outras vidas.
Ninguém adoece por querer, não é mesmo?
A regra de ouro é cuidar...cuidar daqueles que precisam porque um dia poderemos nós precisar de uma ajudinha, ou de alguem que passe e nos olhe com carinho, ternura...e que possa sentar-se perto de nós e bater um bom papo ao invés de de virar o rosto e passar adiante...
É! Realmente, já vi muitas pessoas que temem por ficar perto de outras que estão com a saúde um pouco diminuida...
Quem pode curar as feridas internas dos "eternos doentes" que existem por ai na sociedade?
Cristina Lira

Os sacrificados

Desde que o mundo é mundo é comum escutarmos que alguem abandonou um bebê numa lata de lixo, num rio, em uma mata...e em lugares piores...(isto quando não abortam!)
São atitudes no minimo irresponsáveis, mas quem somos para julgar a atitude de alguém que não conhecemos o modo como vive e suas condições financeiras, inclusive.


Quais seriam os motivos para retirar a vida de alguém que não pediu para nascer? Ou de joga-lo por ai, como se soubesse caminhar com suas perninhas delicadas...
É dificil entender este tipo de comportamento.
E dificil ver como algumas mães (ou "mães") têm uma facilidade enorme de abandonarem esses anjos. Seres que aos primeiros instantes de vida já tem que se virarem sozinhos.
Engraçado...como se bebês  conseguissem dizer que parte do corpo dói, que sente fome...ou mesmo gritar socorro, em caso de emergência.
Todos somos livres para fazermos escolhas, mas nossos atos devem ser pensados e repensados para que não matemos vidas só para que possamos viver, ou por não querer carregar o peso de carregar vidas... ( se é que podemos considerar vidas um peso).
Aos que querem abandonar esses seres indefesos, ao menos os deixem em braços que possam envolve-los, não os entregem ao vazio, não os joguem dentro de sacos plásticos para que morram sem ar, não os deixem nas matas para serem devorados por feras, não os deixem rolando sobre o que restou de um parto...ou melhor, não os tragam ao mundo se não querem ama-los...Cristina Lira

Será?

Será você que irá me fazer perder horas do dia com pensamentos, sorrisos e ouvindo músicas que antes eu nem sabia que existiam?
Será você o alguém por quem minhas poucas vinte e quatro horas do dia se curvarão?
Ou apenas é tudo ilusão?
Porém, me parece, que é inevitável. Todos os fatores já estão contribuindo para que seja você o motivo:
* Dos sorrisos sem motivos;
* Das noites de insônia, sonhando acordada;
* Das paradinhas para assistir um filme um pouco mais sentimental;
* Das impressões de tê-lo visto, quando na verdade era alguém bem diferente;
* Dos desejos de que estejas por perto, mesmo estando há quilômetros de distância;
* De todos olharem pra mim e perguntarem o motivo de tantos sorrisos;
* Das minhas inquietudes;
* Das vezes que me pergunto: será que também pensas em mim?
Será você?
Cristina Lira

Um dia você aprende... - Willian Shakespeare - ( Um dos textos que gosto)

 


Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma. E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança ou proximidade. E começa aprender que beijos não são contratos, tampouco promessas de amor eterno. Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos radiantes, com a graça de um adulto – e não com a tristeza de uma criança. E aprende a construir todas as suas estradas no hoje, pois o terreno do amanhã é incerto demais para os planos, ao passo que o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.
Depois de um tempo você aprende que o sol pode queimar se ficarmos expostos a ele durante muito tempo. E aprende que não importa o quanto você se importe: algumas pessoas simplesmente não se importam… E aceita que não importa o quão boa seja uma pessoa, ela vai ferí-lo de vez em quando e, por isto, você precisa estar sempre disposto a pedoá-la.
Aprende que falar pode aliviar dores emocionais. Descobre que se leva um certo tempo para construir confiança e apenas alguns segundos para destruí-la; e que você, em um instante, pode fazer coisas das quais se arrependerá para o resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias, e que, de fato, os bons e verdadeiros amigos foram a nossa própria família que nos permitiu conhecer. Aprende que não temos que mudar de amigos: se compreendermos que os amigos mudam (assim como você), perceberá que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou até coisa alguma, tendo, assim mesmo, bons momentos juntos.
Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são tomadas de você muito cedo, ou muito depressa. Por isso, sempre devemos deixar as pessoas que verdadeiramente amamos com palavras brandas, amorosas, pois cada instante que passa carrega a possibilidade de ser a última vez que as veremos; aprende que as circunstâncias e os ambientes possuem influência sobre nós, mas somente nós somos responsáveis por nós mesmos; começa a compreender que não se deve comparar-se com os outros, mas com o melhor que se pode ser.
Descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que se deseja tornar, e que o tempo é curto. Aprende que não importa até o ponto onde já chegamos, mas para onde estamos, de fato, indo – mas, se você não sabe para onde está indo, qualquer lugar servirá.
Aprende que: ou você controla seus atos e temperamento, ou acabará escravo de si mesmo, pois eles acabarão por controlá-lo; e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa o quão delicada ou frágil seja uma situação, sempre existem dois lados a serem considerados, ou analisados.
Aprende que heróis são pessoas que foram suficientemente corajosas para fazer o que era necessário fazer, enfrentando as conseqüências de seus atos. Aprende que paciência requer muita persistência e prática. Descobre que, algumas vezes, a pessoa que você espera que o chute quando você cai, poderá ser uma das poucas que o ajudará a levantar-se. (…) Aprende que não importa em quantos pedaços o seu coração foi partido: simplesmente o mundo não irá parar para que você possa consertá-lo. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar atrás. Portanto, plante você mesmo seu jardim e decore sua alma – ao invés de esperar eternamente que alguém lhe traga flores. E você aprende que, realmente, tudo pode suportar; que realmente é forte e que pode ir muito mais longe – mesmo após ter pensado não ser capaz. E que realmente a vida tem seu valor, e, você, o seu próprio e inquestionável valor perante a vida.
Willian Shakespeare

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Vou me calar




Vou me calar para escutar estas vozes que gritam desesperadas dentro de mim, como se quisessem me contar algo que não sei ou apenas me reservei ao direito de não saber. Preciso calar a boca por uns instantes para entender o que branda dentro e mim.
Se eu me calar um pouco mais poderei escutar melhor, entender sem julgamentos antecipados e não cairei nas armadilhas de linguas afiadas.
Sim, irei calar, mas com o objetivo de me escutar melhor para viver melhor...e diante de injustiças sairei do luto e gritarei, rasgarei minha alma, mas não permitirei que forçem o silencio do meu próximo.
Me calarei para conversar comigo, para me contar segredos e entender os que já existem em mim. Meu silêncio será sempre meu melhor presente.
Mas, jamais me calarei para sempre, só alguns minutos do dia, porque se me nego a minha voz, me tiro o direito de me defender e de ser util ao próximo. Tudo na medida certa. É como diz o velho ditado: " Você tem dois ouvidos e uma boca, use-os na mesma proporção"
Falar menos e ouvir mais ( isso ajuda aos que estão precisando desabafar sobre algo);
Calar-se para conversar consigo mesmo (isso nos ajuda a ajudar, nos melhora enquanto individuos e enquanto humanidade);
Cristina Lira

Luz da minha escuridão


Você me atingiu forte como um raio de sol. Modificando minhas noites tão sombrias e tranformando todo sangue parado em vida. Sua luz tão forte e detentora fez a escuridão e as penumbras da minha alma esbravejarem, mas elas se foram... derrubando altos muros, quebrando todas as normas milenares, ressuscitando o resto de vida que vagava pela matéria tão fútil e desmedida.
E eram tão altas as paredes envoltas de mim, muros que construi, que me deram abrigo e sombras...e agora simplesmente foram ao chão, desta vez para não mais serem erguidos.
E por sua presença ando derrubando muralhas, me arriscando e quebrando regras...
E você é tudo que necessito. Você que é minha luz salvadora, quem faz arder claridade em minha escuridão.
E por tudo que és pra mim é que não dá para não notar que as sombras se afastam toda vez que você se aproxima, como se o pranto e a dor se curvassem aos teus pés. Não importa se temos toda uma vida daqui para frente, ou alguns anos, dias ou meses... esta canção sempre irá tocar no mesmo ritmo dos nossos passos e dos nossos toques, pois hoje tenho diante de mim a água que me purifica, a voz que me acalma, os braços que me abraçam, as mãos que me erguem quando caio, a luz na minha escuridão...

Cristina Lira

terça-feira, 26 de outubro de 2010

 
Por Marília Félix
E o que almejo de tudo isso?
De todas essas tentativas que travam
o meu espírito da afável melodia dos teus versos;
Será isso mesmo real?
Ou talvez uma ilusão inacabada do meu íntimo?
Ainda com essa incongruência, eu não consigo resistir
aos teus olhares, que atentam o meu sorriso
e me oferecem esperança de um dia te ter...
E nesta veracidade que se dissolve,
sobre o efeito estável que você tem sobre mim,
Tento conquistar o equilíbrio,
Na tentativa de quem sabe um dia,
Encontrar a resposta da saída que me liberte de ti.


Meus devaneios

                                                            Por Marília Félix


Estou à tempos tentado conjecturar
o valor que tu representas para mim;
E nesta profundidade de sentimentos agudos,
tento discernir a acepção do que realmente sinto por você.
E tudo isso chegou sem eu saber por que...
e em meio desses relampejos, nos limítrofes d’alma
tenho consciência das coisas que eu não sei dizer;
E mesmo o Sol não brilhando,
ainda espero as estrela caírem
sobre a benevolência irrevogável do que sinto.
E toda essa penumbra, esse medo...
não são nada em presença do que tem aqui dentro,
que eu sei que ninguém pode roubar.
E tento não ter pressa
Por que sei que tudo vale à pena
Que dias ruins existem, mas que um dia vão passar...
E assim vivo, nesta imutável desordem
de anseios que afogam-me dia e noite,
mas ao mesmo tempo majoram o alento
dos meus devaneios.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Se te comparo a um dia de verão


Se te comparo a um dia de verão
És por certo mais belo e mais ameno
O vento espalha as folhas pelo chão
E o tempo do verão é bem pequeno.

Ás vezes brilha o Sol em demasia
Outras vezes desmaia com frieza;
O que é belo declina num só dia,
Na terna mutação da natureza.

Mas em ti o verão será eterno,
E a beleza que tens não perderás;
Nem chegarás da morte ao triste inverno:

Nestas linhas com o tempo crescerás.
E enquanto nesta terra houver um ser,
Meus versos vivos te farão viver.

Alvorada


Te vi passar ao alvorecer
De passos lentos em desavença com o tempo
De olhar naufragado no frívolo espaço
e centrado em vagantes pensamentos

Te vi sumir além da linha dos meus olhos
O ar que você deixou quando passou
Cravou-se em mim
Como se soubesse o que estaria por vir

Te vi voltar, e tudo que era desencontro tornou-se permutável
Cruzaram-se olhares, palavras, sorrisos, idéias e toques
Te vi passar, sumir, voltar e permanecer
muito mais além que só um alvorecer.
C. Lira

Penumbra



Não sei o que faço com essas miragens, com esse espelho bem diante de mim.
Se toda vez que fecho os olhos te vejo vindo em minha direção e quando os abro a ilusão continua.
E correndo por entre degraus que subornam minha lucidez não sei o que é real.
 É como uma vela que faz seu fogo subir por entre cortinas e folhas secas quando atravessam as janelas, uma corrida de encontro a uma porta trancada e quando aberta dou de cara com meus fantasmas, minhas ilusões...um mundo que de tão real sucumbiu a imaginação.
Esta casa é grande demais, o vento é forte e balança as cortinas das janelas, penso estar só, mas ao levantar a cabeça vejo toda uma cena que me convida ao centro.
Teu toque me confere a certeza de que não há arvores queimadas por raios na estrada, não há tempestades causando inundações nas costeiras. Não há saqueadores nas redondezas. Pois mesmo que haja, não chegaria a notar nada disso, pois estaria contigo.
E o mundo desmanchando, mas por estar contigo todos os trilhos são seguros.
E me despedaço se partes e me recomponho se apareces.
Penumbras diante da distancia. Claridade total diante da presença.
Não há lugar algum onde possa me sentir melhor. Não há lugar algum do mundo onde desejo ter meu berço e minha lápide, senão junto a ti.
C. Lira

domingo, 24 de outubro de 2010

Ausência


Diante desta volúpia que esbravece meu ser pela nostalgia desta tua ausência, me perco em meu próprio subconsciente de tanto, de forma consciente, pensar em ti, e crio e recrio momentos transcendentes ao presente.
Meus olhos por não verem a luz que vem de ti, causam penumbra dentro de mim. E este estado penumbroso que estou necessita de uma luzerna que exonere a quase plena escuridão escusada que quer me toldar.
Doce e profunda afeição que não será profanada pelo tempo. Não obstante, esta ausência, que ao invés de instigar o esquecimento, ti acentua em meus pensamentos.
Esta ausência confirma que já és presença em minha vida. E toda essa fugacidade de sentir, me faz em delírios, te ver diante de mim em meio  velozes lapsos de memória.
C. lira

Apenas um centímetro


Por Elisabete Lira


Dentro dos meus pensamentos incontáveis
Em sonhos indecifráveis
Estive em busca de uma alma
Que pudesse rir com a minha
Dançar sobre a lua e amar sobre o mar.
Busquei na vida real o que os meus olhos desejavam encontrar.
Encontrar alguém que pudesse me ver
E notar que a vida está a mostrar que o amor é algo incrível.
Em um dia tão comum descobri o sentimento que sempre busquei.
Sentindo isso por alguém tão comum...comum como eu, e da forma que imaginei nos meus incriveis sonhos.
É assim que acontece?!
Descobri hoje que quem tanto busquei encontar estava há apenas alguns centímetros de distância.


Por Marília Félix

Que serei eu assim vivendo sem ti?
Se o meu amor exacerbado é tão retumbante
quanto o léxico dos sonhos contigo;
Dormir, sonhar, acordar...tanto faz...
Se a tua imagem não sai do meu semblante
Ela roubara todos os meus pensamentos
E antes eu, que era o que pensava
Agora vivo com o âmago à espera do teu amor;
E mesmo sabendo que nunca poderei ser correspondida
Prendo-me a estes teus braços, que me carregam dia e noite
na ilusão constante em que vivo.
Viver assim, com esse paradoxo de sentimento platônico,
com toda essa ideologia errônea que não me satisfaz...
Minutos passam e o meu desejo continua sem resposta
Mas mesmo assim, seguirei com esta prosopopéia sonolenta
que me acalenta veemente.

 

sábado, 23 de outubro de 2010

Meu Mapa



Quando meus passos me parecem pesados demais, apenas sigo adiante, pois sei que não posso parar, não agora que vejo bem a minha frente todo esse mar. Tudo que estava procurando, logo ali, diante de mim.
Toda essa areia que caminho é de puro fogo, todas essas lágrimas que escorrem queimando não apenas caem, mas lavam e levam...
Lavam tudo que em mim se sujou pela poeira de tanto andar. Levam com elas angustias que insistiam em ficar em mim.
Mas leve posso caminhar, mesmo que às vezes sinta meus passos pesados demais e esta areia de puro fogo dificulta meu andar.
Mas não se pode parar quando se avista tudo que se deseja. Tudo que imaginamos por noites e noites sem dormir bem à frente, é só uma questão de mais uns passos.
Para tocar o que parecia intocável, conquistar o que parecia inconquistável.
E quando tudo parecer distante demais é só erguer os olhos, tudo que queremos sempre esta um pouco mais adiante.
E me ergo sempre, ainda que as armadilhas na estrada me deixem um pouco desanimada, mas não posso parar se sei que tudo que quero está logo ali.
Não serei mais um troféu para a derrota. Ninguém pode entender melhor este mapa que sigo do que eu mesma, ninguém conhece melhor essa terra que piso, essa poeira que meus pés pesados levantam durante as passadas. Tantos dias de chuvas...tantos verões de cara ao sol...ninguém melhor que eu sabe o quanto vale tudo isso.
Por tudo que já encontrei seguindo este mapa é que continuo, porque sei que vale apena chegar onde marca o “x”. Este é o meu momento, de satisfazer todos aqueles desejos que deixei pra trás quando me afogava nas trincheiras em defesa do vazio.
O “x” desse mapa marca o local exato. Logo este ar pesado dará lugar a suaves brisas, eu bem sei o que há logo ali, não preciso que me apontem o caminho, tenho o mapa, ninguém melhor que eu para entender minha própria estrada.
C. Lira

Tradução da música tema do filme A última canção

 

Quando Eu Olho Para Você

Miley Cyrus


Todo mundo precisa de inspiração
Todo mundo precisa de uma canção
Uma bela melodia
Quando a noite é tão longa
Porque não há nenhuma garantia
Que a vida é fácil


Sim, quando meu mundo está caindo aos pedaços
Quando não há luz para quebrar a escuridão
É quando eu, eu, eu olho para você
Quando as ondas estão inundando o litoral e eu
Não consigo encontrar o meu caminho de casa
É quando eu, eu, eu olho para você


Quando eu olho para você
Eu vejo o perdão
Eu vejo a verdade
Você me ama por quem eu sou
Como as estrelas seguram a lua
Bem ali, onde elas pertencem e eu sei
Eu não estou sozinha


Sim, quando meu mundo está caindo aos pedaços
Quando não há luz para quebrar a escuridão
É quando eu, eu, eu olho para você
Quando as ondas estão inundando o litoral e eu
Não consigo encontrar o meu caminho de casa
É quando eu, eu, eu olho para você


Você parece como um sonho para mim
Como as cores de um caleidoscópio
Provam para mim
Tudo que eu preciso
Cada respiração que eu dou
Você não sabe
Você é lindo


Yeah, yeah...


Quando as ondas estão inundando o litoral e eu
Não consigo encontrar o meu caminho de casa
É quando eu,
Eu, eu olho para você
Eu olho para você


Yeah, yeah...
Oh, oh...
Você apareceu como um sonho para mim...

When I Look At You

Everybody needs inspiration
Everybody needs a song
A beautiful melody
When the night's so long
Cause there is no guarantee
That this life is easy

Yeah, when my world is falling apart
And there's no light to break up the dark
That's when I, I, I look at you
When the waves are flooding the shore and I
Can't find my way home anymore
That's when I, I, I look at you

When I look at you
I see forgiveness
I see the truth
You love me for who I am
Like the stars hold the moon
Right there where they belong and I know
I'm not alone

Yeah, when my world is falling apart
And there's no light to break up the dark
That's when I, I, I look at you
When the waves are flooding the shore and I
Can't find my way home anymore
That's when I, I, I look at you

You, appear, just like a dream to me
Just like kaleidoscope colors that
Cover me
All I need
Every breath, that I breathe
Don't you know?
You're beautiful

Yeah yeah...

When the waves are flooding the shore
And I cant find my way home anymore
Thats when I,
I I look at you
I look at you

Yeah yeah...
Oh oh...
You appear just like a dream to me...

CW7 - Será você

Música

Haverá alguém que todo dia possa me escutar?
Haverá alguém que me responda quando eu perguntar?
Haverá alguém que me entenda sem me questionar?
Haverá alguém que me espere quando eu voltar?
Será você este alguém
Será você ou não será mais ninguém
Será você este alguém
Eu não vou procurar por mais ninguém
Eu nunca quis chegar perto de alguém que possa me envolver
Eu nunca quis fazer as coisas do jeito que elas devem ser
Me disseram que esse tal de amor é o mesmo que sofrer
Mas eu preciso tanto de alguém igual a você

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Renovação

As folhas das árvores não permanecem para sempre, elas caem e logo surgem outras, tudo bem planejado em um processo de renovação.
O dia termina e logo aparece a noite, e ao amanhecer o processo se repete por tempos sem fim.
Se até a natureza segue um ciclo de mudanças, transformações e renovação...por que não fazemos isso então?
Mudemos as lágrimas em sorrisos...os problemas em aprendizado e experiências. A partida de alguem não como o fim, mas encaremos como uma forma de proximidade, pois se oculta dos nossos olhos para morar em nossos corações.
Mudemos  a doença em busca de saúde e desejo de viver intensamente cada dia, sem limitações....
Se tudo se transforma, transformemos então nosso interior de lembranças velhas em um novo depósito para recordações novas.
Que o medo de mudar não nos impeça de renovar! Cristina Lira

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Jogo do amor

Agora é tarde pra sair de fininho. As cartas estão todas a mesa, o jogo já se desenrolou faz tempo. Não adianta fechar os olhos e fingir que nada vê. Parece perigoso, é verdade! Mais perigoso ainda seria não cair nessa trama tão bem armada para nós.
É uma teia de aranha, não podemos sair, embora quisessemos!
É um espaço pequeno, mas suficiente para nosso mundo.
Agora é tarde pra cortar essa respiração ofegante, pra diminuir as batidas do coração, pra limitar-se ao limite no que é ilimitado.
Fiquemos apenas como estamos agora, pois já é tarde para irmos embora.
E todo esse silêncio contempla nosso calar e a escuridão insiste em ornamentar esse momento tão tarde de se abandonar.
Respira-se, transpira-se, move-se em nós tudo de forma algoz...agora é tarde, muito tarde, pra sair de fininho e não ver as cartas do jogo lançadas à mesa. (Cristina Lira)

Meu bem


Meu bem tem sabor de vida, de esperança...
Meu bem tem um não sei o que que ninguem tem.
Ninguém nesse mundo todo se parece com meu bem.
Ele tem cheiro de chuva quando bate na mata e na terra seca.
Tem um sorriso parecido com de um anjo,
coisa que não existe nessas redondesas.
Meu bem quando anda parece flutuar
e quando fala é como um coro celestial a cantar.
Até suspeito que não por acaso, quando DEUS criava o mundo
o fez com cuidado, preparou um dia todo para que ele fosse criado.
Meu bem quando me toca é brasa que levanta fogueira
Quando se afasta é cinza que vira poeira.
Com meu bem sou dona do mundo
Fada, anjo, bruxa e feiticeira. Cristina Lira

Ele


Ele usa jeans e camiseta surrados pelo tempo.
Ele usa um penteado fora de moda.
Ele come sempre do que sobra.
E ele tem tantos sonhos...

Ele tem a pele queimada pelo sol.
Tudo que ele queria era um teto.
Uma família e um pouco de afeto.
E ele tem tantos sonhos...

Ele sonha com um salário minimo todo mês.
Caminha por todas as avenidas.
Pedindo um pouco de comida.
E ele tem tantos sonhos...

Mas carrega consigo muita esperança.
Acreditando sempre que tudo pode melhorar.
Jamais desiste de lutar.
E ele tem tantos sonhos.
Cristina Lira

C.Lira

Involuntários

Estrada que conduz pessoas e as abandona em caminhos de gelo e faíscas abrasadoras.
Pessoas que caem aos pés de altares como medida de refúgio, e lá também encontram sepulcros.
Sangue derramado sem permissão, de mulheres cortam os seios, de homens as mãos.
A altura das portas é um universo e a pintura tão primitiva...
As árvores de galhos secos, folhas sem clorofila.
Amputam-lhes os direitos, sendo sepultados e enterrados vivos.
Por milagre alguns escapam, mas o que viram gravado na mente fica.
Corrida de sangue em prol de um vazio que destrói a vida. C. Lira

Amor além da morte



Hoje levei flores ao seu túmulo.
Reguei as rosas que plantei há alguns dias.
Deixei-te umas e outras lágrimas, não para que as sepulte contigo, mas para que renasça com elas.
Não têm sido fácil esses dias desde que você se foi. Minha vida até parece já não me querer mais. Pois minha vida sente saudade da tua vida.
Em nossa casa todas as nossas lembranças, em minha mente tudo permanece igual, até você.
Minha morada agora é onde tu moras.
Continuarei vivendo porque há em mim uma parte tua de vida que não pode morrer.
E este abismo mortal que nos separa, me trás frio por não ter teu corpo quente e teu afago agasalhador aqui, comigo.
Tua partida tão precoce me deixou aqui tão pobre, pois aqui nada há de meu, já que você era meu tudo.
Mas sempre te trarei rosas e lágrimas. Para que lembres sempre do nosso perfume e não se esqueças da nossa vida.
Mas me deixastes um pequeno diamante que cresce cada dia mais, e o meu nada sem ti já não fica tão vazio. Partistes do alcance dos meus olhos para renascer dentro de mim. E toda essa sombra que você me deixou quando se foi, cede lugar para um pouco de luz. Um anjo que se ergue para me socorrer por todo esse tempo que viverei sem você.
E carregarei sempre comigo os anos que vivemos juntos, seguirei com os nossos planos. Dizem que o amor verdadeiro é forte, ele não cessa depois da morte.
Amanhã estarei aqui e te trarei rosas e lágrimas...
Cristina Lira

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Seja Fênix


Não permita que destruam seus sonhos, ou que te digam que não és capaz.
Use toda essa força que você bem sabe que possui, mas que por medo de errar não ousa tentar.
Não preste atenção demais no que falam de você, há momentos que é melhor fingir que não se pode ouvir. Porque se você parar toda vez que te barrarem na estrada, nunca sairás desta posição que estas hoje. Busque caminhos diferentes, sejam eles atalhos ou grandes estradas. Mas, por hipótese alguma, permita que matem essa necessidade que há em você de vencer e ser feliz.
Não dê permissão para que te machuquem.
Ninguém tem direito de ferir tuas esperanças, a não ser que você permita isso.
"Não...não...não!"Diga essa palavra se o "sim" for te levar a escravidão.
Você só não pode não tentar por medo de errar.
Renasça!Seja fênix!



Fenix - 1. Ave mitologica, que, segundo a tradição egipcia, durava seculos, e quando queimada renascia das cinzas. 2. Pessoa ou coisa rara.



Crédito: O significado de Fênix retirei do Minidicionário aurélio.
Minidicionário de Lingua Portuguesa Aurélio. Rio de janeiro, Editora Nova Fronteira, S.A, 2001.


Cristina Lira

O que você faz?

O que você faz
Quando não te compreendem?
Quando te aborrecem?
Te olham diferente, ou te tratam com arrogância?
O que você faz
Quando te amam?
Quando você ama e não é correspondido, ou quando te amam e você não ama?
O que você faz
Quado o tempo é curto demais?
Quando você precisa de " só mais um minutinho"e não tem?
Quando dá aquele nó na garganta e você não consegue falar porque quer chorar?
O que você faz
Quando acorda chateado?
Quando bate aquela vontade de gritar e não pode?
O que faz quando quer estar sozinho, ou quando quer ter muita gente por perto?
O que você faz quando
deixa alguem triste? Ou quando te entristecem?
O que você faz quando pensa no que fazer?
C. Lira

Prometo


Prometo não calar quando minha voz for necessária para que a verdade aconteça.
Prometo não me esconder se minha presença for extremamente importante.
Prometo ser ousada, atrevida e sem limites para defender aqueles que precisarem de mim.
Prometo não me ocultar se minha presença for fundamental a sua existência.
Prometo sorrir, mas se o sorriso dos meus lábios for espôntaneo e não uma obrigação.
Prometo chorar, mas por motivos realmente justos.
Prometo amar sem me questionar: porque?
Prometo sonhar e ri dos pesadelos.
Prometo que não sairei daqui, a não ser que precisem de mim em outro lugar.
Cristina lira

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Além do que se vê

Se as luzes se apagarem, ainda restará o esplendor da própria escuridão. Nada é tão obscuro que não possa carregar sua própria luz, ou tão sem graça que não possa carregar sua beleza. Essa mania de notar apenas o que é notado é o mesmo que fechar os olhos a escuridão. Atras do que se consegue enxergar está um infinito. E muito do que sentimos, só sentimos... Um mundo que não podemos ver apenas sentir e transmitir. Até mesmo o que se classificam por horrendo tem sua essencia existencial. E cada ser, independente de quem seja, carrega consigo um grande universo, que só pode ser visto por aqueles que portam olhos que percebem as coisas simples da vida.
Há mais detalhes a se descobrir numa pequena pedra do que em uma grande rocha.
Cristina Lira

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Você



Você que rouba meu sono e me deixa perversamente ver a noite passar,
Enquanto passam cenas em minha memória.
Você que ao se aproximar toma meu ar e me faz desejar estar cada dia mais perto, faz-me sentir cada dia tua presença mais em mim.
Teu olhar me sonda a alma, que queres neste meu abismo?
Ao toque de tuas mãos cedo completamente aos riscos.
O teu perfume que me cerca todo instante instiga-me a voltar os pensamentos só a ti.
Minha liberdade é uma prisão nos dias de tua ausência. E meu cárcere se ilumina quando presentes estás.
Você que me fixa o olhar e fala tanto sem nada dizer.
Você que me faz viajar sem movimentar-me. Que me faz fechar os olhos mesmo sem sono. E sorrir enquanto durmo. E me tomas além do querer embriagando-me em um cálice de prazer.
Cristina Lira

Para sarar as feridas

Mundo que sofre e se encontra ferido demais. Em tuas cicatrizes quase saradas nascem outras impregnadas. Quanto sofrimento e quão doentio estas. Quantas feridas ainda terás que carregar? Quantas espadas ainda haverão de transpassar-te? Quanto sangue ainda jorrará de ti.
Teu remédio é fácil de se encontrar, difícil de se aplicar pela imensidão de tuas feridas e pela falta de disponibilidade de bons médicos.
Até quando deixaremos que tantas feridas se abram? Ate quando estaremos tão doentes, ou tão cegos?
E afundamos no nosso próprio túmulo, e cavamos nossa própria ruína.
Acordemos todos nós que temos o antídoto para quebrar essa calamidade.
Que nossos olhos sirvam para ver as injustiças, mas também para fazer justiça.
Que nossas mãos não portem armas, mas que sejam a porta para levantar as crianças em direção dos nossos braços.
Que nossas bocas não profiram acusações e sim palavras de conforto diante das agonias. E beijos doces as pessoas que amamos.
Que nossos desejos não sejam de vingança, antes sejam de amor e caridade.
Que o sofrimento não nos modifique e sim purifique.
C. Lira

A melodia dos sepultados



Tocarei uma melodia que não se ouve, entoarei um cântico mudo aos olhos do mundo. O cosmo por inteiro ouvirá esse som. Som que se debulhará por entre faíscas em movimento, que irá atrair aqueles que conseguirem ouvir.
Oh! Vozes que são caladas antes de falarem, choros que não se ouvem porque não os deixam viver.
Oh! vozes que transcendem os espíritos, inocentes, excluídos e que não são ouvidos.
Cantem para acalmar os indignados, revoltados e aflitos.
Cantares em vão, para uma grande multidão. Melodia que caminha entre as vozes de milhões de vitimas de si mesmos, e vitimas de outras vitimas.
Canto fúnebre que se dissipa na morte do que seria vida.
Meu canto é pra ti doce criatura, que jaz debaixo dessa sepultura, meu pranto é melodicamente teu acalento por teres sido banido deste ventre. C.Lira

Apenas olhe para o lado


E agora que te encontrei não vou te deixar partir, você que já se tornou uma parte de mim. Não importa onde é o teu refúgio, farei dele o meu templo, não importa onde você vive importa que tenha vida e se deixe viver. Te buscarei onde for, agora que te encontrei não te deixarei partir assim, sem que me leves contigo. Não que vá te implorar para estar com você, mas simplesmente estarei, ainda que não me possas ver. Não há necessidade de estar junto se posso fechar os olhos e te ver. Estarei sempre ao seu lado, como uma presença viva, ou como tua sombra protetora. Serei o silencio dos teus conflitos e o conflito que te silenciará nas tuas noites. Talvez o melhor sonho, mas nunca me tornarei um pesadelo. Neste caminho a estrada mostra os passos de dois viajantes. Te carregarei comigo, se não for ao meu lado será no meu interior. Mas nunca em mim cessará este tão súbito amor. Quando se sentir sozinho apenas olhe para os lados, prometo que ainda estarei por perto, assim como agora.
C.Lira

Apenas amo

Apenas te amo, não me pergunte porque e como isso foi acontecer,
Eu não saberia explicar algo inexplicável.
E me perco toda vez que te encontro.
Me surpreendo fugindo desse mundo na nave dos meus pensamentos.
Quando deito para dormir permaneço acordada,
Quando acordada fico a sonhar parada no tempo.
Só sei que quando te vejo apenas o vejo,
Nada mais ao redor parece existir.
Perco todas as vontades, menos a vontade que me consome de estar com você.
Nossos sorrisos e palavras nos comprometem,
Até mesmo sem querer.
E quanto mais nos afastamos, mais voltamos a nos ver.
É um imã gigante que nos impulsiona
E aflora-nos o desejo de ir a mais que um beijo.
Não que seja como as estações,
Mas que seja pleno em nós e em nossos corações.
Cristina Lira

Sempre esteve aqui


Era tarde da noite, estava quase desistindo de estar naquela festa. E ao tentar dar meia volta, você apareceu e me chamou pra dançar. E nada estava me agradando ali, nem percebi direito com quem dançava. Apenas dancei. A música terminou, sai devagar, cabeça baixa.
Sentei-me um pouco distante de tudo aquilo. Olhei o céu que mal podia ser visto. E uma voz perguntou se podia sentar ao meu lado. E mais uma vez, nem pude ver direito quem estava ali, ao meu lado, parecia ser a mesma pessoa que dancei.
Após uma conversa de poucas palavras. Sai, cabeça baixa, olhando meus pés, nada mais. Uma semana depois adoeci gravemente. E ao abrir meus olhos vi o teto e as paredes sem graça de um hospital, mas alguém olhou pra mim, sorriu e perguntou se estava tudo bem.
Era ele da dança, ele da conversa, ele o meu socorro. E não percebi que estava todo tempo por perto, bem ao meu lado, como um anjo a me proteger, das coisas que eu não via enquanto olhava meus pés enquanto caminhava.
E segurando minha mão disse: Não se preocupe tudo ficará bem agora.
Ao olharmos tanto para o infinito a nossa frente, esquecemos que existem momentos  e pessoas que estão perto e são eternos.
Cristina Lira

Incertezas

E me perco no teu olhar como se não houvesse mais nada que eu pudesse enxergar. Até parece que meus olhos só conseguem registrar sua presença, seja quando o vejo, ou até mesmo quando durmo. O bom de tudo isso é que não consigo me sentir sozinha, apesar de estar. Quando você aparece é como se a chuva caísse tão lentamente e percorresse de uma forma ilimitada todas as formas de vidas que existem. Quando recebo um toque seu, mesmo que seja sem querer, é como se o céu se rasgasse ao meio e num grito soltasse seus anjos em todas as direções, é, verdadeiramente, uma sensação surreal, o que sinto com apenas um toque. Eu bem sei, o quanto tudo isso me faz bem. As direções não existem e todo lugar que eu queira seguir se torna certo, logo já não existe um lado errado na estrada e nenhum caminho que conduzirá a um abismo. E se tudo for produto de uma aguçada imaginação, nada irá me fazer sentir mal, nem a idéia de tudo que imaginei jamais possa acontecer. Valeu todos os sorrisos e sonhos que me fizeram estar em estado de felicidade só por te portar dentro do meu ser.
Cristina Lira

domingo, 17 de outubro de 2010

Ninguém irá me fazer parar


Estou abrindo todas as portas a minha frente, vou passando como um vendaval, como uma tempestade. E agora que abri todas essas portas não voltarei para fechar nenhuma delas, quem vier atrás que as feche. Isto é o que farei a partir de hoje, abrirei, quebrarei, destruirei todas portas, todos  os obstáculos, qualquer muralha que encontrar pela frente. Decidi, nada vai me deter.
Vou de encontro ao que quero agora, não tente segurar minha mão, alias, não encoste, deixe-me seguir a essa velocidade, assim, nesse ritmo, porque não quero parar, tão veloz, deixe-me passar. Nenhuma barreira se levantará mais a minha frente. Tenho todas as chaves, e mesmo que não as tivesse seria forte, sim, como uma tempestde ou pior que isso, mas não ficarei mais neste escuro.
Estou passando e minha caminhada é em linha reta, removerei todos os blocos de concreto à minha frente. Nem sempre se pode viver de cabeça baixa, aceitando tudo o que se é imposto. E se quiser me seguir, tome certa distancia, fique sempre um pouco atras, mas em momento algum caminhe à minha frente, pois estou removendo tudo que possa me fazer parar. Sim, estou indo rumo as cidades iluminadas, aos campos floridos, posso até esta indo de encontro a um abismo, mas não ficarei parada...nimguem me manterá aqui. E agora que me ergui do chão, que renasci em mim mesma, nada vai me parar, porque quero caminhar, sem ter quem indique o caminho, não olharei as setas e as placas das estradas. Minha felicidade está esperando por minha atitude, e estou perto de chegar onde quero, agora que me ergui, não há ninguem que possa me parar, não sei ao certo onde vou chegar, mas não ficarei imaginando como seria se eu tivesse tentado, agora simplesmente eu me movo até onde quero. Não se pode viver segurando as chaves, elas tem serventia, não se pode viver acumulando sonhos quando se tem vida.
Cristina Lira

A busca

E caminhando por cima de todos esses incômodos, sigo. Como se soubesse que o prêmio para essa estrada de espinhos estivesse logo ali. Mas ao passo que me aproximo, mas distante vejo de mim o fim dessa jornada que parece se alongar a cada passada. Não é justo que os caminhos e a terra que cultivei possa estar assim, e agora, sem chão, caminho vagando nas estradas, a espera que a jornada termine logo.
E ao passo que me aproximo tudo parece cada vez mais distante, e ergo minha mão, à minha frente apenas o vazio. Minhas vestes surradas pelo tempo de viajante carrega cada grão de poeira, os vestigios de tudo que vivi. Em mim o cansaço expresso nas curvas que o tempo desenhou no meu rosto e em meu peito guardada a esperança de chegar no fim dessa jornada onde sei que vou encontrar o descanso, mas se toda vez que me aproximo se afasta, me faz caminhar ainda mais, embora o cansaço já seja avançado, vou dar um passo a mais nessa direção. Porque sei perfeitamente tudo que me espera bem a frente...logo ali...apenas mai um passo. Sei que estou sempre perto, e talvez nunca chegue, mas não diminuirei o ritmo nesta busca. Bem sei o que encontrarei, e quando estender minhas mãos novamente encontrarei as que segurarão as minhas, e se o tempo me vencer, pelo menos ficarão meus rastros e a poeira, meu vestigio, e saberão (saberá) que sempre estive por perto. Cristina Lira

Antídoto

Ser feliz é um compromisso que temos com nós mesmo. Não podemos permitir que nos extasiem com pessimismos e falsos pensamentos. Não dá pra permitir que nos apliquem uma injeção de mal ânimo, que tem por reação uma grande depresão e visão pequena de mundo.
Tomemos a felicidade e vamos sair por ai sorrindo sem parar...afinal que motivo poderia barrar a felicidade?...ser feliz não é sentir-se livre a custa da prisão de sonhos de outros, mas, sentirmos soltos o suficiente para espalhar este estado por onde andamos...
Amores, dança, risos e lágrimas que chegam a rolar por tanta alegria que infla nosso peito. Não ter lugar certo para estar, porque, de repente, todo lugar torna-se bom pra se ficar.
Cristina Lira

Confissões desmedidas

A você que amo meu sorriso e o meu abraço. De uma forma tão desmedida os ofereço.
Nada do que te faço, o faço por puro querer, mas por tanto amar.
Não feche os olhos ao me ver passar...pode ir para bem longe, mas no instante que volveres teu olhar, estarei em um recanto, como a  mais profissional das espiãs. E isto é tudo que tenho sido por todo este tempo. Por onde quer que andes, seguirei teus passos, e se não me vir no fim da estrada é porque já estarei bem adiante, te esperando.
Cristina Lira

Se você não consegue, deixe-me tentar!


Se você não consegue correr atrás de seus sonhos não me impeça de alcançar os meus. Se você não consegue viver por estar sempre de olho na vida alheia, desencoste-se de mim e deixe-me se feliz. Não cobice meus gestos e meus atos. Que tal você também tentar, você pode conseguir, se parar de se preocupar tanto com o modo de vida das pessoas. Todos somos livres para fazermos o que quisermos, não necessitamos de especuladores. Afaste-se de mim junto com esse ar de incapacidade que insistes em transmitir e carregue para longe esse poço de pessimismo que despejas nos sonhos de outrem. Ninguém vive quando espia outras vidas, acaba assim esquecendo de viver sua própria vida. (Cristina Lira)

Dor que santifica


Que compaixão sinto das pobres pessoas que tratam um enfermo com discriminação e repugnância. Que pequeno é o coração daqueles que não sabem tratar das feridas dos outros e acalentar o choro de dor de alguém que sofre.
O sofrimento de uma enfermidade faz jorrar lágrimas que horas parecem ser de sangue, faz-nos chorar involuntariamente e torna-nos sensíveis ao extremo. Mas nem a dor de uma enfermidade é tão grande quanto o olhar exclusivo de almas pequenas e insensatas. Que produzem palavras que cortam mais que gumes de uma faca e ferem mais que qualquer tipo de arma mortal que possa existir.
Mas parte de toda dor pode ser suavizada pela compreensão e dedicação daqueles que com carinho limpam nossas feridas, cuidam das cicatrizes. E por tanta bondade também se chora. Chora-se, e essas lágrimas não ardem, mas saram por onde passam, e nos dão a certeza de que somos especiais. E não é um mal estado na vida ou um olhar incompreensível, e por vezes insensível, que vai nos tomar o direito de sorrir, embora possa nos abater, mas não nos ferir ou destruir.
Nenhum sofrimento é eterno, embora que no momento em que acontece possa assim parecê-lo. 
(Cristina Lira)

sábado, 16 de outubro de 2010

Ouse ser você!

Não se isole nesse mundo que você acabou de construir. Não que seja necessário mudar alguma coisa. Mas não há porque fugir tanto e se esconder. Hoje te vejo aqui, amanha já nem sei.
O que tanto temes? Porque prendes tanto os pés ao chão?
Talvez tenhas medo da forma como tudo pode acontecer, mas o futuro é tão longe, para que ficar tentando adivinhar como tudo vai acontecer.
Apenas desate todos esses nós que te prendem ao nada.
Você não pode viver  a vida inteira baseada no passado ou no que pode ser o futuro. Olhe bem a sua frente, não será dificil ver o quanto é interessante e prazeroso o que tem diante dos olhos. Esse ato de se esconder e sumir por vezes só demonstra fraqueza, não há porque se refugiar neste mundo que só cabe você. Retire os pés desse seu chão, veja que há um espaço para todos nós, e para nós.
Não tema. Tudo fica fácil quando não se tenta adivinhar como algo poderia ser, ou como poderia acontecer. A essencia está escondida justamente no ato de experimentar, vivenciar e sentir.
Abandone essa casinha antiga e cheia de teia de aranha. Espie só!Existem pessoas te esperando do lado de fora deste mundo no qual está embutido.
Ouse, autentique-se...mas não fique assim, deixando os dias e as pessoas passaram na sua frente, pare-as e acompanhe-as. Saia dessa casinha que você vive e feche a porta para sempre.
Pare de se esconder de você mesmo!
Cristina Lira