segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Minhas asas


Por favor, não sacuda minhas asas, estou voando. Estou indo para longe de todas essas armadilhas, vou indo fazer a maior de todas as arquiteturas. Mas não sacuda minhas asas enquanto voo, isso pode me fazer parar e, sinceramente não quero cair, não novamente. Esse comportamento que vejo me faz ter certeza que voar de encontro a outros horizontes me fará continuar livre, então, não sacuda minhas asas, elas são tão delicadas... Cristina Lira

2 comentários:

  1. Não devemos jamais sacudir as asas de alguém, para não voarmos levando conosco uma culpa por sonhos destruídos...!
    Belo texto!

    ResponderExcluir
  2. Devemos ensinar voar, ir de encontro aos sonhos, as metas....a tudo...mas jamais atentar contra alguem que esta a alçar voos...

    ResponderExcluir