segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Sempre esteve aqui


Era tarde da noite, estava quase desistindo de estar naquela festa. E ao tentar dar meia volta, você apareceu e me chamou pra dançar. E nada estava me agradando ali, nem percebi direito com quem dançava. Apenas dancei. A música terminou, sai devagar, cabeça baixa.
Sentei-me um pouco distante de tudo aquilo. Olhei o céu que mal podia ser visto. E uma voz perguntou se podia sentar ao meu lado. E mais uma vez, nem pude ver direito quem estava ali, ao meu lado, parecia ser a mesma pessoa que dancei.
Após uma conversa de poucas palavras. Sai, cabeça baixa, olhando meus pés, nada mais. Uma semana depois adoeci gravemente. E ao abrir meus olhos vi o teto e as paredes sem graça de um hospital, mas alguém olhou pra mim, sorriu e perguntou se estava tudo bem.
Era ele da dança, ele da conversa, ele o meu socorro. E não percebi que estava todo tempo por perto, bem ao meu lado, como um anjo a me proteger, das coisas que eu não via enquanto olhava meus pés enquanto caminhava.
E segurando minha mão disse: Não se preocupe tudo ficará bem agora.
Ao olharmos tanto para o infinito a nossa frente, esquecemos que existem momentos  e pessoas que estão perto e são eternos.
Cristina Lira

Nenhum comentário:

Postar um comentário