segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Incertezas

E me perco no teu olhar como se não houvesse mais nada que eu pudesse enxergar. Até parece que meus olhos só conseguem registrar sua presença, seja quando o vejo, ou até mesmo quando durmo. O bom de tudo isso é que não consigo me sentir sozinha, apesar de estar. Quando você aparece é como se a chuva caísse tão lentamente e percorresse de uma forma ilimitada todas as formas de vidas que existem. Quando recebo um toque seu, mesmo que seja sem querer, é como se o céu se rasgasse ao meio e num grito soltasse seus anjos em todas as direções, é, verdadeiramente, uma sensação surreal, o que sinto com apenas um toque. Eu bem sei, o quanto tudo isso me faz bem. As direções não existem e todo lugar que eu queira seguir se torna certo, logo já não existe um lado errado na estrada e nenhum caminho que conduzirá a um abismo. E se tudo for produto de uma aguçada imaginação, nada irá me fazer sentir mal, nem a idéia de tudo que imaginei jamais possa acontecer. Valeu todos os sorrisos e sonhos que me fizeram estar em estado de felicidade só por te portar dentro do meu ser.
Cristina Lira

3 comentários:

  1. Portar as mais importantes coisas e não-coisas, ser preenchido e esvaziado, dar um salto e um mergulho, movimento e inércia em todo momento mais seguro... A Imaginação pode agir ou a Realidade pode rugir, Cristina? Qual caminho define a certeza das incertezas?

    ResponderExcluir
  2. Bom, meu amigo, a incerteza é algo tão incerto que nem tenho certeza no que responder.Este é um caminho que não é definido, apenas sentido....Vc é um grande questionador...amei as interrogações! Bjos, obg por comentar...

    ResponderExcluir
  3. A incerteza se esconde abaixo da mesa das correntezas de nossos mares... Nietzscheano demais isto, mas fundamental para a nossa interpretação das Incertezas.

    ResponderExcluir